Países não devem ser influenciados a elevar oferta de petróleo, diz Iraque

12/06/2018 14:32:54

Por: Cristiana Euclydes / Agência CMA

Divulgação/Repsol

São Paulo – O ministro do Petróleo do Iraque, Jabbar Al-Luieb, disse que os países produtores não devem ceder a pressões para elevar sua oferta, e que decisões unilaterais para aumentar a produção podem levar ao fim do pacto que visa a reduzir a oferta global e elevar os preços.

O acordo atualmente em vigor entre a Opep e outros dez países retira 1,8 milhão de barris por dia do mercado a fim de impulsionar os preços, mas membros do cartel, como a Arábia Saudita, sinalizaram que podem afrouxá-lo e aumentar sua produção, para compensar quedas na oferta da Venezuela e do Irã.

“Não devemos superabastecer o mercado com petróleo no momento atual, a fim de não prejudicar o mercado internacional”, disse o ministro, em comunicado. Al-Luieb “rejeitou as decisões unilaterais dos produtores sem referência ao resto dos membros”. Ele também alertou sobre violações ao acordo que podem levar ao seu cancelamento.

“Não devemos prejulgar as melhorias do mercado de petróleo, e os produtores devem lidar sabiamente com os fatos sem serem afetados pelos pedidos para fornecer mais petróleo, porque essa ação pode causar resultados ruins”, disse o ministro.

Na semana passada, agências de notícias reportaram que o governo norte-americano teria solicitado à Arábia Saudita e a outros membros do cartel um aumento de 1 milhão de barris por dia (bpd) no fornecimento da Opep, após um pico no preço da gasolina e após reclamações do presidente Donald Trump sobre a política do cartel de limitar a oferta de petróleo.

Deixar um comentário