Minerva abrirá capital da Athena Foods no Chile

12/09/2018 11:37:47

Por: Eliane Leite / Agência CMA (e.leite@cma.com.br)

São Paulo – Com o objetivo de melhorar a estrutura de capital, a Minerva anunciou a abertura do capital da subsidiária Athena Foods, no Chile, e o aumento de capital da companhia. A empresa espera captar aproximadamente R$ 1,0 bilhão com o aumento de capital e entre R$ 1,0 bilhão e R$ 1,5 bilhão com a oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) da Athena.

De acordo com o diretor de Finanças da companhia, Edison Ticle Filho, todo o recurso do aumento de capital e um terço do valor captado com o IPO serão utilizados para pagar dívidas. De imediato, com o aumento de capital, a companhia espera uma desalavancagem de 1 vez o ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização). Com a melhora da alavancagem, a companhia planeja ampliar o pagamento de dividendos, afirmou o diretor.

Ainda como estratégia para a melhora da estrutura de capital, com parte dos recursos da abertura de capital da Athena, a Minerva buscará aumentar sua participação na Colômbia com a aquisição de ativos e reabrir plantas e
explorar o crescimento da marca de produtos exportados na Argentina. No Chile, vai priorizar a melhora da distribuição e avaliar aquisições de ativos em potencial.

Em relação ao aumento de capital anunciado ontem, Ticle Filho informou que os acionistas que aderirem à operação receberão um bônus de subscrição de três anos no valor de 30% do preço da ação no aumento de capital (R$
6,42).

O aumento já foi aprovado pelo conselho de administração da companhia e será submetido e assembleia geral extraordinária em outubro. Em novembro termina o prazo para subscrição das ações no processo.

ALAVANCAGEM

A expectativa da companhia é que a alavancagem caia abaixo de 3,0% ao final de 2019. Em um dos cenários, pode chegar a 2,1%. No final do segundo trimestre, a relação dívida líquida e ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) estava em 5,0% e a dívida líquida somava R$ 6,861 bilhões.

Considerando apenas o aumento da capital da Minerva com a captação de R$ 1,059 bilhão, a companhia prevê alavancagem em 3,4% diante de uma margem ebtida de 9,0%; com margem de 9,5%, a alavancagem poderia cair a 3,2% e, com margem de 10,0%, a 3,0%, considerando uma receita líquida de R$ 16,5 bilhões em 2019.

Já com a possibilidade de arrecadar todo o valor esperado com o aumento de capital e R$ 1,0 bilhão com a IPO da Athena, a Minerva projeta alavancagem de 2,5%, com margem ebitda de 9,0%; de 2,4%, com margem de 9,5%, e de 2,3% com
margem de 10,0%.

No caso de o IPO atingir o teto da arrecadação prevista, de R$ 1,5 bilhão, a relação dívida líquida e ebitda pode cair a 2,3%, 2,2% e 2,1%, considerando margens ebitda de 9,0%, 9,5% e 10,0%, respectivamente.

Deixar um comentário