MERCADO AGORA: Veja um sumário do comportamento dos negócios até o momento

19/12/2018 13:30:29

Por: Eduardo Puccioni / Agência CMA

São Paulo – O Ibovespa opera em alta desde a abertura com investidores mantendo otimismo à espera da decisão do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), que pode sinalizar sobre uma redução do ritmo do aumento dos juros nos Estados Unidos, o que é positivo para economias de países emergentes como o Brasil. Não está descartado, porém, que o índice possa ter volatilidade ao longo do dia, já que a decisão será apenas às 17h.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava alta de 1,17% aos 87.631,65 pontos. O volume financeiro do mercado eras de aproximadamente R$ 5,2 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em fevereiro de 2019 apresentava avanço de 1,10% aos 88.370 pontos.

Apesar do consenso de que o Fed deve elevar a taxa de juros hoje, a grande expectativa é pelo comunicado e pelas declarações do presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, que podem sinalizar sobre quantas altas de juros ocorrerão no ano que vem e se haverá uma redução no ritmo de elevação.

“Esta reunião, sua ata e o discurso que a segue serão determinantes para o movimento do mercado. Esperamos que o Fed destaque o risco de crescimento e inflação mais baixos, deixando claro que o caminho para os juros será totalmente dependente de dados (somente subirá mais se o crescimento surpreender para cima)”, disseram os analistas da XP Investimentos em seu “Morning Call”.

No mercado de câmbio, o dólar comercial opera em queda desde a abertura da sessão de hoje, com o mercado à vista ensaiando alta, com investidores cautelosos quanto ao principal evento do dia: a decisão de política monetária do Fed. Além de, possivelmente, anunciar aumento da taxa de juros, passando para a faixa entre 2,25% e 2,50%, a autoridade monetária divulgará as projeções para 2019 e investidores estão atentos quanto às sinalizações para a taxa de juros no ano que vem.

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava queda de 0,74%, sendo negociado a R$ 3,8730 para venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em janeiro de 2019 apresentava recuo de 1,0%, sendo negociado a R$ 3,873.

Apesar da expectativa de uma quarta elevação do juro básico hoje, o economista da Guide Investimentos, Victor Cândido, avalia que uma possível manutenção seria recebida como uma “boa surpresa”, porém, a expectativa por novas projeções do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) e a entrevista do presidente do Fed, Jerome Powell, após a divulgação do comunicado, podem melhorar os “ânimos” do mercado mesmo que a alta se concretize e sinalizem uma pausa no aperto monetário no ano que vem.

A equipe econômica do Bradesco ressalta que, quando o banco central norte-americano projetava até setembro ao menos três elevações de juros em 2019, o mercado deixou de precificar qualquer alta. “Vale ficar atento à divulgação das projeções trimestrais para entender como os últimos eventos na cena macroeconômica influenciaram os dirigentes do Fed”, ressalta.

As taxas dos contratos futuros de juros (DIs) seguem com oscilação estreita, mas um ligeiro viés negativo prevalece na curva a termo, em meio aos ajustes após a recomposição de prêmios nos vértices mais longos ontem e monitorando o comportamento do dólar. Os investidores estão à espera dos eventos envolvendo o Federal Reserve, no fim da tarde.

Às 13h30, o DI para janeiro de 2020 tinha taxa de 6,61%, de 6,65% após ajuste da sessão anterior; o DI para janeiro de 2021 estava em 7,45%, de 7,51% o DI para janeiro de 2023 projetava taxa de 8,74%, de 8,86%; e o DI para janeiro de 2025 estava em 9,37%, de 9,51%, na mesma comparação.

Deixar um comentário