MERCADO AGORA: Veja um sumário do comportamento do mercado até o momento

São Paulo – O Ibovespa futuro abriu a semana indicando queda com o mercado atento à reforma da Previdência, que pode ter avanços, e ao exterior onde investidores estão otimistas com as negociações entre Estados Unidos e China indicando uma aproximação de acordo na guerra comercial entre os países. Lá fora, o mercado acionário tem movimento misto.

Por volta das 13h30 (horário de Brasília), o Ibovespa registrava queda de 0,16% aos 96.946,80 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 6,2 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em abril de 2019 apresentava recuo de 0,30% aos 97.120 pontos.

No mercado doméstico, o economista-chefe da Infinity, Jason Vieira, avalia que a atenção deve ser dada principalmente no potencial da base do governo em lidar “com as possíveis emendas e, às falas de Bolsonaro, citando que a capitalização não é importante neste momento”, comenta.

Lá fora, investidores seguem atentos aos passos da negociação entre os Estados Unidos e a China, que parecem caminhar para uma trégua na disputa comercial, em mais uma rodada de conversas na semana passada.  

“A cena internacional segue contando com otimismo de grande parte do mercado no que tange às negociações, sendo iminente o anúncio de algum acordo capaz de, ao menos, evitar novas tarifações, enquanto no melhor cenário, somaríamos a essa expectativa a retirada das atuais tarifas”, avalia a equipe econômica da H.Commcor.

O dólar opera em queda frente ao real depois de oscilar em campos positivo e negativo na abertura dos negócios acompanhando a queda da moeda no exterior e com o desempenho positivo das moedas de países emergentes frente ao dólar.

“Apesar das incertezas internas com a fraca articulação política, principalmente, em relação à reforma da Previdência, o bom humor externo está prevalecendo com a possibilidade de já haver um acordo comercial entre os Estados Unidos e a China. Há rumores de que o acordo está fechado faltando apenas algumas formalidades”, comenta o analista de câmbio da Correparti, Ricardo Gomes Filho.

Por volta das 13h30, o dólar comercial registrava queda de 0,46%, sendo negociado a R$ 3,8550 para venda. No mercado futuro, o contrato da moeda norte-americana com vencimento em maio de 2019 apresentava recuo de 0,45%, cotado a R$ 3,861.

Lá fora, o Dollar Index tinha queda de 0,41%, aos 97,000 pontos. Entre as moedas de países emergentes, a queda do dólar é observada ante a maioria das moedas, exceto a lira turca que sobe quase 1% e a rúpia indiana que tem alta de 0,50%.

As taxas dos contratos futuros de juros (DIs) seguem com oscilações estreitas, em meio à expectativa por novidades sobre a reforma da Previdência na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. Essa espera também embute movimentações laterais nos negócios com dólar e ações.

Às 13h30, o DI para janeiro de 2020 tinha taxa de 6,475%, de 6,47% do ajuste na sexta-feira passada; o DI para janeiro de 2021 projetava taxa de 7,05%, de 7,03%; o DI para janeiro de 2023 estava em 8,18%, de 8,15% após o ajuste anterior; e o DI para janeiro de 2025 tinha taxa de 8,74%, de 8,70%, na mesma comparação.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com