Maia elogia relação com Bolsonaro, mas depois critica presidente

Por Gustavo Nicoletta

O presidente Jair Bolsonaro vai à Câmara dos Deputados para entregar ao presidente Rodrigo Maia o projeto de lei que altera as regras da carteira nacional de habilitação (CNH). (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

São Paulo – O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a relação com o presidente da República, Jair Bolsonaro, “melhorou bastante”, mas horas depois afirmou que o chefe do Executivo é “produto de nossos erros” e um “produto sem partido”.

Ontem, durante um evento do BTG Pactual, Maia foi questionado sobre sua relação com Bolsonaro. “Melhorou, a minha relação com ele melhorou bastante”, disse ele. A plateia reagiu com risos. Maia acrescentou: “É verdade!”

Para tentar convencer os presentes, disse que Bolsonaro, a pedido seu, não compareceu a um jantar com a bancada gaúcha, a fim de evitar a redução do quórum na Câmara durante a votação dos destaques à reforma da Previdência.

“Essa articulação que parece coisa pequena é importante. São 513 [deputados]. Se eu for perdendo um em cada canto, para cada ministério e principalmente para o presidente da República, não vai dar quórum nunca na Casa. Tirando essa questão da operação política, tem melhorado”, afirmou.

Horas depois, num evento da Fundação Lemann, Maia foi menos amigável ao presidente. “Bolsonaro é produto dos nossos erros. Um deputado que estava sem partido, escanteado até pelas elites militares, vai e pega um movimento de rua, pega questões de valores, muito conservadores, e se elege”, disse Maia.

“Se ele chegou aonde chegou, a culpa é nossa”, acrescentou o presidente da Câmara.

Ele também disse que Bolsonaro provavelmente não era o candidato preferido pelos integrantes da operação Lava Jato, nem pelo ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro. “O nome da Lava Jato não era Bolsonaro”, afirmou, acrescentando: “não acho que Moro apoiou ele no primeiro turno. Hoje estou cada vez mais convencido de que não.”

BASE POLÍTICA

Nos dois eventos, o presidente da Câmara dos Deputados disse que Bolsonaro possui apoio dos congressistas em relação à pauta econômica, mas que há menos consenso em relação a outras propostas do presidente, principalmente em relação aos costumes.

“No tema econômico, acho que há uma maioria formada da Casa pelas reformas. Pela agenda de valores, eu acho que ele não tem maioria no parlamento”, disse Maia durante o evento do BTG Pactual.

“Uma parte expressiva dos deputados que vota a agenda econômica não vota a agenda de valores, e acho também que de alguma forma a vocalização dele [Bolsonaro] sobre estes temas, muito dura, acaba atrapalhando a tramitação dos projetos. O radicalismo do discurso dele acho que assusta uma parte dos parlamentares que olhando com cuidado os temas poderia colaborar.”

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com