Lucro sobe 8,5% no 2T19 e soma R$ 2,615 bilhões

Por Leandro Tavares

São Paulo – O lucro líquido da Ambev no segundo trimestre de 2019 subiu 8,5%, para R$ 2,615 bilhões, em relação ao mesmo período do ano passado, impactado principalmente por uma diminuição das despesas financeiras. O lucro por ação ajustado no trimestre foi R$ 0,17 (+16,8%).

O resultado veio acima da previsão média das principais corretoras e casas de análise do mercado, compilado pela Agência CMA, que previu um lucro líquido de R$ 2,541 bilhões.

Já o resultado ajustado, que desconsidera efeitos positivos ou negativos vindos de itens não recorrentes, ficou em R$ 2,712 bilhões, alta de 16,1%, em base anual.

RECEITA

A receita da empresa ficou acima da previsão dos analistas, aumentando 7,1%, para R$ 12,145 bilhões. Segundo levantamento da Agência CMA, a média das previsões para a receita da Ambev estava em R$ 12,056 bilhões.

No trimestre, a companhia negociou 24,159 milhões de hectolitros (HL), volume 3,6% maior na comparação com um ano atrás, com CPV (custo por produto vendido) por HL 10,7% maior, de R$ 134,6. Impulsionado principalmente devido a pressões inflacionárias da Argentina, câmbio e elevação dos preços de commodities, levemente compensados pelo menor preço do açúcar.

O ebitda de forma ajustada da Ambev teve alta de 0,4% no segundo trimestre, para R$ 4,691 bilhões. A previsão dos analistas veio exatamente em linha com o resultado, segundo a média dos levantamentos feitos pela Agência CMA, o mercado esperava por R$ 4,691 bilhões.

BRASIL

A receita líquida de cerveja Brasil cresceu 6,7% no trimestre com ROL/hl crescendo 3,7% no trimestre, em linha com a inflação do período, uma vez que aumentos de preço e um mix de marca positivo resultante do crescimento do premium foram compensados pelo mix geográfico, pois continuamos a crescer mais rápido nas regiões Norte e Nordeste do país. O volume cresceu 2,9%, enquanto a indústria foi estável de acordo com a Nielsen.

AMÉRICA LATINA

Na América Central e Caribe (CAC) a empresa entregou receita líquida (+11,6%) durante o 2T19, impulsionado por um aumento no volume e na ROL/hl de 5,7% e 5,6%, respectivamente. Liderado pela Corona, Budweiser e Modelo, há um desenvolvimento de nossa estratégia de expansão do premium na região, onde o segmento representa uma grande oportunidade futura.

A Corona entregou incríveis experiências para os consumidores, como a Sunsets Sessions, e promoveu a campanha global da marca para um mundo melhor contra o plástico nos oceanos, que tem um significado especial para a região.

Por fim, na América do Sul (LAS), a receita líquida orgânica cresceu 10,6% no trimestre, com a ROL/hl aumentando 21,2%. O volume caiu 8,9%, principalmente impulsionado pela Argentina, onde o volume de cerveja decresceu mid teens. A situação macroeconômica na Argentina continua desafiadora, com uma moeda desvalorizada e alta inflação acarretando uma baixa confiança do consumidor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com