Lucro gerencial cresce e soma R$ 3,635 bi no 2T19

Por Leandro Tavares

São Paulo – O lucro líquido gerencial do Santander, que exclui despesas de amortização do ágio, cresceu 20,2% no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para R$ 3,635 bilhões. Analistas consultados pela Agência CMA previam, em média, lucro líquido de R$ 3,526 bilhões.

O lucro líquido contábil aumentou 14,7% na mesma base de comparação, para R$ 3,41 bilhões.

A carteira de crédito ampliada do banco teve alta de 9,3% ao fim do segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, atingindo R$ 317,6 bilhões. Na comparação com o primeiro trimestre, houve alta de 2,2%.

As despesas com provisão para devedores duvidosos (PDD) cresceram 8,5% no segundo trimestre em base anual e diminuíram 7,1% na comparação trimestral, somando R$ 2,826 bilhões. O saldo de PDD atingiu R$ 18,49 bilhões, subindo 2,2% em termos anuais e ficando 1,1% abaixo do nível observado no primeiro trimestre.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido médio do Santander, excluindo o ágio, subiu 1,8 pontos porcentuais (pp) no segundo trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, para 21,3%. O índice de inadimplência acima de 90 dias ficou em 3% da carteira de crédito, alta de 3 pp em relação a um ano antes e 0,1 pp abaixo do nível observado no primeiro

trimestre.

No primeiro semestre do ano, o banco destacou o montante de R$ 2,0 bilhões na forma de juros sobre capital próprio (JCP), expansão de 67% em comparação aos R$ 1,2 bilhão do mesmo período do ano passado. No segundo trimestre, foram destacados R$ 1,0 bilhão em JCP que serão pagos a partir de 31 de julho.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com