Lucro do Bradesco cresce 10,9% no 4T17

01/02/2018 08:50:06

Por: Wilian Miron / Agência CMA

Foto: Marcos Santos/USP Imagens

São Paulo – O lucro recorrente do Bradesco, que desconsidera o efeito de eventos extraordinários, cresceu 10,9% no quarto trimestre de 2017 em relação a um ano antes, para R$ 4,862 bilhões, resultado ligeiramente menor que a média das projeções de analistas consultados pela Agência CMA, de R$ 4,884 bilhões.

O banco atribuiu os resultados à melhora da margem financeira, ao desempenho das operações de seguros, previdência e capitalização e à receita obtida com a prestação de serviços, fatores que foram parcialmente ofuscados pelo aumento nas despesas administrativas e com provisão para devedores duvidosos.

O lucro contábil do Bradesco, que inclui os efeitos positivos e negativos de eventos não recorrentes, subiu 5,6% no quarto trimestre, para R$ 3,792 bilhões. Em 2017, o lucro recorrente aumentou 11,1%, para R$ 19,024 bilhões, enquanto o lucro contábil caiu 2,8%, a R$ 14,659 bilhões.

A queda no lucro contábil em 2017 foi motivada por uma despesa extraordinária de R$ 1,262 bilhão com o plano de demissão voluntária adotado pelo Bradesco e pelas despesas de amortização de ágio da aquisição do HSBC, que quadruplicaram em relação a 2016, para R$ 2,302 bilhões.

As despesas com provisão para devedores duvidosos (PDD) caíram 16,3% no quarto trimestre ante igual período do ano anterior, para R$ 4,622 bilhões. Com o resultado, o saldo de provisões do banco atingiu R$ 36,527 bilhões, o que representa queda de 10,3% na comparação anual.

O retorno anualizado sobre o patrimônio líquido do Bradesco terminou 2017 em 18,1%, aumento de 0,5 ponto percentual (pp) frente ao quarto trimestre do ano anterior. As operações de crédito caíram 4,3%, para R$ 492,931 bilhões.

O índice de inadimplência total do Bradesco, medido pela inadimplência acima de 90 dias, caiu 0,8 pp no quarto trimestre em relação a um ano antes, para 4,7% do total da carteira de crédito. Na comparação com o terceiro trimestre, houve declínio de 0,1 pp.

Edição: Gustavo Nicoletta (g.nicoletta@cma.com.br)

Deixar um comentário