Israel quer impedir Irã de ter armas nucleares

Por Carolina Gama

São Paulo – O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que não permitirá que o Irã desenvolva armas nucleares após a indicação de que Teerã teria ultrapassado o limite de enriquecimento de urânio previsto no acordo nuclear de 2015.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu. (Foto: Cia Pak/ONU)

“Israel não permitirá que o Irã desenvolva armas nucleares. Mais uma vez, apelo a todos os países europeus: defendam o seu compromisso. Vocês se comprometeram a agir no momento em que o Irã violasse o acordo nuclear, impondo sanções automáticas estabelecidas pelo Conselho de Segurança. Então digo: façam isso”, disse Netanyahu no Twitter.

Mais cedo, a agência IRIB citou o ministro das Relações Exteriores do Irã, Javad Zarif, indicando que Teerã havia excedido em 300 quilogramas o limite de estoque de urânio enriquecido previsto no acordo nuclear de 2015 e do qual os Estados Unidos não fazem mais parte.

“Quando expusemos o arquivo nuclear secreto iraniano, provamos que qualquer acordo com o Irã é baseado em uma grande mentira. Agora, até o Irã reconhece isso. Em breve serão reveladas provas adicionais de que o Irã esteve mentindo esse tempo todo”, afirmou Netanyahu em outra mensagem.

Além dos Estados Unidos, o Irã tenta pressionar os países europeus signatários do acordo – França, Reino Unido e Alemanha -, além da Rússia e da China, para tomarem ações para manter o acordo nuclear, como ao aliviar os impactos das sanções impostas pelo governo norte-americano.