Interferência no preço do diesel foi pontual, diz Mourão

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – O vice-presidente Hamilton Mourão considera que a pressão do governo federal sobre a Petrobras para a companhia desistir de elevar o preço do diesel é pontual e confia que o presidente Jair Bolsonaro não adotará um controle de preços de combustíveis.

Mourão
O vice-presidente da República, general Hamilton Mourão, fala à imprensa. (Foto: Wilson Dias/Agência Brasil)

“Toda decisão tem seus fatores positivos e negativos”, disse Mourão em entrevista à Rádio CBN. “Eu não tenho domínio dos fatos todos que levaram o presidente a tomar essa decisão, não sei quais pressões estava sofrendo, ou a visão que ele tinha do que poderia acontecer neste exato momento com esse aumento” do preço do diesel, disse Mourão.

“Julgo que ele optou pelo bom senso neste presente momento e vai buscar outra linha de ação, mas também tenho absoluta certeza que ele não vai praticar a mesma política da ex-presidente Dilma Rousseff no tocante à intervenção em preços do combustível e energia”, acrescentou o vice-presidente.

Mourão reconheceu ser contraditório um governo de viés liberal pressionar uma companhia para impedi-la de elevar preços, mas disse que “os fatos que chegaram ao conhecimento do presidente não são do meu domínio. Acredito no bom senso dele e acho que ele tomou decisão pensando no bem maior. Eu julgo que é fato isolado, justamente pelo momento que estamos vivendo”, disse o vice-presidente, em referência ao risco de uma greve de caminhoneiros.

As ações da Petrobras operam em baixa (PETR3 -4,70%; PETR4 -4,41%) e estão entre as que mais caem dentre os componentes do índice Ibovespa em função da interferência do governo na companhia.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com