Inflação sobe em dezembro, mas fecha 2018 abaixo da meta do Banco Central

11/01/2019 10:05:28

Por: Olívia Bulla / Agência CMA

(Foto: pipp/FreeImages.com)

São Paulo – O Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação oficial do país, subiu 0,15% em dezembro, apagando a queda de 0,21% apurada em novembro, mas atingindo o menor resultado para o mês desde o início da série histórica, em 1994, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O resultado ficou levemente acima da mediana projetada, de 0,12%, conforme o Termômetro CMA.

Com isso, o IPCA encerrou 2018 (e os últimos 12 meses) acumulando alta de 3,75%. O resultado também ficou ligeiramente acima da previsão, de 3,72%, ainda conforme o Termômetro CMA. Foi a segunda vez seguida que o IPCA encerrou o ano ficando abaixo da meta perseguida pelo Banco Central, de 4,5%, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Segundo o IBGE, o acréscimo nas taxas de variação de preços nos grupos Alimentação e Bebidas (de +0,39% para +0,44%), Transportes (de -0,74% para -0,54%) e Habitação (de -0,71% para -0,15%), na passagem de novembro para dezembro, foi determinante para o resultado do IPCA no período.

De um lado, alimentos e bebidas tiveram um impacto de 0,11 ponto percentual (pp) na alta de 0,15% do indicador no mês passado, sendo responsável por quase três quartos do resultado final. Já os grupos Transportes e Habitação responderam, juntos, por um alívio de 0,12 pp, contendo a alta do IPCA.

Nessa classe de despesa, destaque para a alta de 0,50% nos alimentos para consumo no domicílio, pressionados pela cebola (+24,03%) e a batata-inglesa (+20,05%). Entre os destaques individuais, a alta de 29,12% em passagem aérea representou o maior impacto, de +0,12 pp, enquanto os combustíveis foram responsáveis pelo maior alívio, ficando, em média 4,25% mais baratos e contribuindo com -0,25pp. Nesse item, a gasolina caiu 4,80%; o etanol, -2,70% e o óleo diesel, -3,45%.

Deixar um comentário