Inflação sob controle dá ao Fed espaço para ser paciente, diz Powell

10/01/2019 17:19:39

Por: Carolina Gama / Agência CMA

Jerome Powell

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell. (Foto: Divulgação/Federal Reserve)

São Paulo – O ambiente de inflação sobre controle dá ao Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) condições de ser paciente na elevação da taxa de juros, disse o presidente da autoridade monetária, Jerome Powell, durante um painel no Clube Econômico de Washington.

“Estamos em um bom momento, no qual podemos ser pacientes e flexíveis para avaliar como os eventos se desenrolam. Não seguimos um plano predefinido para a elevação da taxa de juros”, afirmou.

A declaração de Powell reforça a mensagem transmitida ontem pela ata da reunião de política monetária, que indicou que o banco central norte-americano pode ser paciente em suas decisões futuras – um sinal de que o forte ciclo de aumento da taxa de juros pode estar próximo do fim. “A ata do Fed amplifica decisão do comitê de política monetária”, disse.

No mês passado, o Fed elevou os juros pela quarta vez em 2018, passando-a para a faixa entre 2,25% a 2,50%. Na ocasião, os membros do comitê reduziram de três para duas as previsões de alta da taxa básica em 2019.

Neste contexto, Powell fez questão de reforçar uma declaração dada na semana passada, indicando que o Fed está pronto para agir rapidamente e com flexibilidade caso haja necessidade. Ele pontou preocupação com a
desaceleração global, especialmente na China, e com a volatilidade dos mercados financeiros.

Sobre a China, Powell afirmou que o governo chinês está adotando medidas para manter o crescimento econômico sustentável, mas reconheceu que a desaceleração da segunda maior economia do mundo tem alimentado temores sobre a economia global, de forma geral.

No caso da volatilidade dos mercados financeiros, o chefe do Fed reforçou que o banco central norte-americano acompanha os desenvolvimentos de perto. No entanto, Powell deixou claro que a economia dos Estados Unidos passa por um bom momento e que não há motivos para preocupação. Ele afastou riscos de recessão no país no curto prazo.

“2018 foi um bom ano para os Estados Unidos, com inflação sob controle, geração de empregos e aumento de salários. Este ano começa neste contexto e temos uma boa oportunidade de atuar com calma na política monetária”,
afirmou.

 

Deixar um comentário