Inadimplência chega a 63,2 milhões de consumidores em maio, diz SPC

11/06/2018 16:46:35

Por: Flávya Pereira / Agência CMA

São Paulo – O total de brasileiros com contas em atraso ou com o nome no cadastro de pessoas inadimplentes subiu pelo oitavo mês consecutivo e chegou a 63,2 milhões em maio, alta de 0,57% na comparação com abril. Na comparação anual, o dado avançou 2,78%. O número corresponde a 41% da população entre 18 e 95 anos.

Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). Para o presidente da CNDL, José Cesar da Costa, o crescimento da inadimplência reflete o ritmo lento da recuperação econômica para o consumidor. “O mercado de trabalho continua desaquecido, os juros cobrados do consumidor ainda não caíram no mesmo ritmo da Selic [taxa básica de juros] e a perda de renda real dos últimos anos ainda não foi recuperada”.

O número de dívidas também cresceu (+0,90%) em base mensal, mas caiu 0,20% ante maio de 2017. Por setores, as dívidas seguem a trajetória de alta. No mês, as atreladas a bancos – como cartões de crédito, cheque especial, empréstimos, financiamento e seguros – subiram 6,42%. Na sequência, vêm as contas de comunicação como telefone, TV por assinatura e internet (5,14%). Em contrapartida, caíram as contas do comércio (-9,49%) e as de água e luz (-4,79%). Em termos de participação, os bancos detêm pouco mais da metade do total de dívidas (51,8%).

A população entre 30 e 39 anos é a que se observa com o maior número de inadimplentes – 52,05% das pessoas nesta idade estavam com alguma conta atrasada em maio, ou seja, em média, 17,9 milhões de pessoas. Em seguida, vem os consumidores entre 40 e 49 anos, com 52,02%. Um pouco abaixo, estão os consumidores com idade entre 25 e 29 anos (46,7%).

Entre as regiões, o Sudeste segue como a que concentra o maior número de pessoas com contas em atrasou ou no cadastro de inadimplentes, 26,9 milhões, o que representa 40,7% do total de consumidores. Na sequência, vem o Nordeste, com 17,4 milhões de pessoas, ou 43,2% do total da população, e o Sul com 8,1 milhões de consumidores, total de 36% da população adulta.

Edição: Leandro Tavares (leandro.tavares@cma.com.br)

Deixar um comentário