Ibovespa fecha em alta com Bradesco e acumula ganho mensal de 10,8%

31/01/2019 18:39:02

Por: Danielle Fonseca / Agência CMA

São Paulo – Após ultrapassar os 98 mil pontos pela primeira vez na história, puxado pela alta de mais de 6% das ações do Bradesco, o Ibovespa desacelerou ganhos com as ações da Vale e da Petrobras no fim do pregão e fechou em alta de 0,40%, aos 97.393,74 pontos. A máxima do dia foi de 98.405,21 pontos, renovando o seu recorde intradiário. A última sessão de janeiro também teve forte volume financeiro, de R$ 21,2 bilhões.

Já no mês, o Ibovespa acumulou ganhos de 10,82%, com investidores otimistas com o novo governo e a reforma da Previdência. “O mês só não foi melhor em função das ações da Vale [que refletiram o rompimento da barragem
de Brumadinho]. Se as ações não tivessem caído 24% na segunda-feira, o Ibovespa já teria batido os os 100 mil pontos”, disse o economista-chefe da Codepe Corretora, José Costa, destacando expressiva liquidez vista ao longo do
mês.

O grande destaque do índice hoje foram as ações do Bradesco (BBDC4 5,64%, BBDC3 3,70%) que dispararam após o banco apresentar um lucro líquido de R$  5,830 bilhões no último trimestre, alta de 19,9% em relação ao mesmo
período do ano anterior. O resultado ajudou a puxar as ações de outros bancos, como do Itaú Unibanco (ITUB4 1,73%). “O resultado do Bradesco foi muito bom, mostra que de certa forma houve uma demanda saudável por crédito, e o setor bancário tem peso muito relevante para o Ibovespa, com quase um terço do índice”, disse o analista da Guide Investimentos, Luís Gustavo Pereira.

Na contramão, as ações da Vale (VALE3 -2,36%), que chegaram a subir mais de 1% pela manhã, fecharam em queda, acelerando perdas ao longo dia, o que contribuiu para uma desaceleração do Ibovespa, sendo que a ação da mineradora foi a mais negociada do dia, com volume de R$ 1,8 bilhão. Hoje, o Ministério Público do Trabalho (MPT) confirmou o bloqueio de mais R$ 800 milhões da mineradora, que já tem mais de R$ 12 bilhões bloqueados pela
Justiça, em função do rompimento da barragem de Brumadinho (MG), na última sexta-feira.

Os papéis da Petrobras (PETR3 0,37%; PETR4 -0,15%) também ajudaram na redução da alta do Ibovespa ao reduzirem ganhos com uma realização de lucros. Já as maiores quedas do índice foram das ações do setor de
educação, Estácio (ESTC3 -4,31%) e Kroton (KROT3 -4,69%).

No mercado doméstico, a confiança dos investidores em relação ao andamento da reforma da Previdência tem prevalecido e colabora para a alta de hoje e para o avanço expressivo visto em janeiro. O otimismo aumentou
principalmente depois que o vice-presidente, o general Hamilton Mourão, afirmou que a proposta incluirá os militares e será apresentada no primeiro semestre deste ano.

Além do otimismo local, as sinalizações dadas pelo FED ontem favorecem ativos de emergentes, uma vez que afirmou que terá paciência para elevar os juros, indicando que o ciclo de alta pode ser interrompido. Ainda no exterior, o presidente norte-americano Donald Trump disse que há possibilidade de fechar um acordo comercial com a China até 1 de março, mas se a China abrir o seu mercado agrícola aos Estados Unidos, o que acabou não trazendo impacto para as bolsas norte-americanas, que operam mistas.

Amanhã, investidores devem ficar atentos aos números do mercado de trabalho dos Estados Unidos, o chamado payroll, que será divulgado às 11h30, que podem trazer alguma volatilidade para os mercados. O economista da Codepe também acredita que o índice pode voltar a ficar mais volátil ao longo de fevereiro com o noticiário político voltando a ficar no foco com a posse do Congresso e expectativas ainda sobre a presidência do Senado e da Câmara dos Deputados, o que será determinante para votação da Previdência.

Deixar um comentário