Huawei diz que decisão dos EUA pode prejudicar consumidores do país

Por Carolina Pulice

Foto: Divulgação

São Paulo – A empresa chinesa Huawei publicou uma nota em que diz que está pronto para debater com o governo dos Estados Unidos “medidas efetivas para garantir a segurança” de seus produtos, um dia após o Departamento do Comércio norte-americano ter colocado a empresa em uma lista negra de equipamentos de telecomunicações.

“A Huawei é a líder indiscutível em 5G. Estamos prontos e dispostos para debater com o governo dos EUA e propor medidas efetivas para garantir a segurança do produto”, afirmou em nota.

A decisão do Departamento faz com que a companhia seja proibida de fazer negócios com empresas norte-americanas devido a riscos de segurança. Antes da divulgação da lista, o presidente do país, Donald Trump, havia assinado uma ordem executiva declarando emergência nacional de tecnologia, proibindo companhias do país de usar equipamentos de telecomunicações e serviços de empresas de países adversários, que representem riscos de segurança nacional.

“Restringir a Huawei de fazer negócios nos Estados Unidos não tornará o país mais seguro ou mais forte; em vez disso, servirá apenas para limitar os Estados Unidos a alternativas inferiores e mais caras, deixando o país atrasado na implantação do 5G e, eventualmente, prejudicando os interesses das empresas e consumidores norte-americanos. Além disso, restrições sem razão infringirão os direitos da Huawei e levantarão outras sérias questões legais”, completou a nota.

A empresa chinesa tem sido alvo de uma campanha do presidente

norte-americano para marginalizá-la nos mercados globais, acusando-a de espionagem e de representar riscos à segurança.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com