Goldman Sachs recomenda cautela com ações de bancos

Por Danielle Fonseca

Foto: Thomas Hobbs/Flickr

São Paulo – O banco Goldman Sachs iniciou a cobertura de ações do setor financeiro mostrando cautela com papéis de bancos, já que acredita que o mercado já precificou uma recuperação da economia, no entanto, o Produto Interno Bruto (PIB) continua a decepcionar. A recomendação para Bradesco e Itaú Unibanco é de venda, enquanto Banco do Brasil e Santander foram avaliados como “neutral” (equivalente à manutenção).

Os papéis sentem as recomendações e operam em queda de mais de 2%, em dia também de cautela em meio ruídos políticos. Às 12h08 (horário de Brasília), as ações do Bradesco (BBDC4) caíam 2,41%, a R$ 36,39, enquanto as do Itaú (ITUB4) recuam 1,82%, a R$ 34,43. Já as do Banco do Brasil (BBAS3) tinham perdas de 2,02%, a R$ 51,30, e as do Santander (SANB11) caíam 2,26%, a R$ 44,08.

“O crescimento do PIB brasileiro continua a desapontar, o endividamento continua elevado e a taxa de desemprego está alta. Pensamos que uma esperada aceleração do crédito pode decepcionar e ser mais fraca do que o esperado, enquanto taxas de juros mais baixas colocam limite para a expansão de margens”, afirmaram os analistas do banco, em relatório.

No caso do Bradesco, os analistas decidiram pela recomendação de venda, com preço-alvo de R$ 31,00 para os papéis preferenciais, já que avalia que futuras melhoras na lucratividade devem ser mais difíceis de serem vistas diante da desaceleração na oferta de crédito. A avaliação é semelhante em relação ao Itaú, também recomendado com venda e preço-alvo de R$ 31,00.

O banco preferido do Goldman é o Banco do Brasil, avaliado com manutenção e com preço-alvo de R$ 52,00). “Vemos que melhoras na lucratividade são menos dependentes do crescimento da oferta de crédito e o banco é menos sensível a taxas de juros mais baixas do que os seus pares, dada a forte exposição a empréstimos agrícolas”, afirmaram. No caso do Santander (manutenção, preço-alvo de R$ 45,00) a visão também é mais positiva, já que os recentes ganhos de market share e empréstimos para consumo devem permitir margens mais altas que seus pares.

O Goldman Sachs também passou a cobrir outras ações do setor financeiro fora bancos, sobre os quais têm avaliações mais positivas, como da B3 (compra, preço-alvo de R$ 41,00) e Cielo (manutenção, preço-alvo de R$ 7,00).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com