Fitch afirma nota da China em A+

14/07/2017 15:29:01

Por: Carolina Gama / Agência CMA

(Foto: Freeimages.com/Gary Tamin)

São Paulo, 14 – A Fitch Ratings afirmou na noite de ontem a nota de crédito da China em ‘A+’, com perspectiva estável, citando a solidez macroeconômica e de suas finanças externas. A agência de classificação de risco também ressalta a tendência favorável de crescimento no médio prazo e a eficácia das políticas econômicas ao responder pressões domésticas e externas no último ano.

No entanto, a Fitch alerta que a ambiciosa meta de expansão chinesa pode levar a potenciais choques econômicos e financeiros, resultando em uma limitação do crescimento no médio prazo. Outro risco vem do nível de endividamento fora do setor bancário que, combinado com a qualidade do crédito no sistema financeiro, pode ameaçar a classificação do país.

“O endividamento das famílias continua moderado apesar de seu rápido crescimento nos últimos anos. O setor privado chinês se tornou o mais endividado entre as maiores economias globais”, disse a Fitch, citando dados do Banco de Compensações Internacionais (Bank of International Settlements, BIS).

A agência lembra que, apesar de a internacionalização do iuane ter desacelerado, sua designação como moeda de reserva pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) no final de 2016 oferece uma importante vantagem partilhada por um número limitado de países no mundo.

Diante desse cenário, a Fitch projeta uma desaceleração do crescimento da China para de 6,7% em 2016 para 6,5% este ano – em linha com as previsões do governo. Em 2018, esse processo deve continuar e a economia deve crescer 5,9%. O motor da expansão é o consumo junto com condições externas mais favoráveis, que impulsionam a exportação.

Edição: Gustavo Nicoletta (g.nicoletta@cma.com.br)

Deixar um comentário