Fed mantém taxa de juros dos EUA inalterada e prevê um corte no ano que vem

Prédio do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) em Washington. Foto: Divulgação/ Federal Reserve

Por Carolina Gama e Cristiana Euclydes

São Paulo – Como era esperado, o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) manteve inalterada a taxa de juros na faixa entre 2,25% e 2,50%, em uma decisão que não foi unânime entre os membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês). Dessa vez, James Bullard, presidente da unidade de Saint Louis, defendeu o corte dos juros.

No comunicado, o Fomc retirou a referência a uma postura paciente nos futuros ajustes da taxa básica e ressaltou que as incertezas aumentaram. “O Comitê continua a ver a expansão sustentada da atividade econômica, as condições fortes do mercado de trabalho e a inflação perto do objetivo simétrico de 2% como os resultados mais prováveis, mas as incertezas sobre essa perspectiva aumentaram”, diz o comunicado.

Diante desses incertezas e das pressões inflacionárias mais brandas, o comitê reforçou que continuará monitorando das implicações das informações futuras em relação às perspectivas econômicas e “agirá de maneira apropriada para sustentar a expansão”, com um mercado de trabalho forte e inflação simétrica – ou seja, que pode ser um pouco abaixo ou acima da meta de 2,0%.

“Essa avaliação levará em conta uma ampla gama de informações, incluindo medidas das condições do mercado de trabalho, indicadores de pressões inflacionárias e expectativas de inflação, e leituras sobre desenvolvimentos financeiros e internacionais”, segundo o comunicado.

Ainda de acordo com o Fomc, a economia do país segue sólida, com crescimento em ritmo moderado. Os ganhos em emprego se mantiveram firmes, com baixa taxa de desemprego. Já os gastos das famílias se recuperaram com relação ao início do ano, mas os investimentos das empresas permanecem brandos.

Com relação a inflação, o comitê manteve o entendimento de que segue abaixo da meta de 2%, enquanto medidas de expectativas de inflação baseadas no mercado seguem baixas, enquanto as expectativas de inflação tiveram pouca alteração.

PROJEÇÕES

A mediana das projeções dos membros do Fed para a taxa básica de juros do país este ano manteve-se inalterada em 2,4%, mesma estimativa feita em março. No entanto, o banco central reduziu a previsão para o próximo ano.

A mediana das projeções do Fed mostra agora que os juros devem ficar em 2,1% até o fim de 2020, ante previsão anterior de 2,6%. Para 2021, o comitê de política monetária passou a esperar juro básico em 2,4%, uma redução em comparação com a projeção anterior de 2,6%. No longo prazo, a estimativa passou de 2,8% para 2,5%.

Já o chamado “gráfico de pontos”, uma compilação das projeções de cada membro do Fomc para a taxa de juros, mostra que oito dos 17 membros do comitê preveem um corte de juros em 2019, enquanto um único membro prevê uma alta.

Na divulgação anterior do gráfico, em março, nenhum membro previa uma redução nos juros este ano, enquanto seis previam uma alta. No entanto, oito membros do comitê esperam manutenção da taxa básica de juros este ano, ante 15 que previam manutenção em março.

Para 2020, sete membros preveem que os juros fiquem abaixo de 2,0% e três esperam juro básico acima de 2,5%. Por fim, para 2021, cinco membros do Fomc espera juros ainda abaixo de 2,0%, enquanto outros cinco preveem juro acima de 2,5%. No longo prazo, todos os 17 membros esperam juro acima de 2,25%.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com