Falta de concorrência em combustíveis custa R$ 7,38 bilhões à indústria, diz CNI

11/07/2018 14:48:12

Por: Wilian Miron / Agência CMA

Bomba de combustível

Bomba de combustível. (Foto: Marcos Santos / USP Imagens)

São Paulo – Levantamento feito pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que a falta de concorrência no setor de combustíveis custa aproximadamente R$ 7,38 bilhões à indústria energo-intensiva brasileira, com a compra de gás natural.

“A estrutura concentrada de oferta de combustíveis resulta em preços muito acima do mercado internacional”, destaca o relatório ‘Insumos Energéticos: Custos e Competitividade’, que faz parte do conjunto de 43 documentos que a CNI apresentou aos candidatos à Presidência da República.

Nele, a entidade afirma que o preço do gás natural, na faixa dos US$ 14 por milhão de BTUs, é um dos mais altos do mundo e chega a ser três vezes
maior do que o dos Estados Unidos. Em 2017, a média dos gastos das indústrias energo-intensiva apenas com a compra de gás somou R$ 5,8 bilhões, superando a média dos países da Organização para Cooperação e Desenvolvimento (OCDE).

Na visão da entidade, esta situação acontece porque a Petrobras detém uma fatia exagerada do mercado de combustíveis, o que a torna precificadora dos produtos fundamentais para a indústria.

A mesma situação aconteceria com o mercado de óleo combustível, principal derivado de petróleo utilizado pela indústria brasileira, para
aquecimento de caldeira, fornos e motores de combustão. Hoje a indústria consome 53% da produção nacional deste insumo. Entretanto, a Petrobras é dona de 14 das 18 refinarias existentes na país.

Edição: Gustavo Nicoletta (g.nicoletta@cma.com.br)

Deixar um comentário