Evans, do Fed, diz que taxa de juros pode ser rebaixada se inflação desacelerar

Por Carolina Pulice

São Paulo – O presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Chicago, Charles Evans, afirmou que a instituição pode considerar a redução da taxa de juros se a inflação cair.

“Se a inflação se mantiver no nosso objetivo de 2%, o caminho para a taxa dependerá de qualquer sinal de uma aceleração na inflação do núcleo”, disse. “Mas se a atividade diminuir mais do que esperado ou se as expectativas para a inflação continuarem muito baixas, a política pode ser suspensa ou até mesmo aliviada, para providenciar a acomodação apropriada para obter nossos objetivos. A política vai ser dependente de dados”, disse em discurso.

Ainda segundo ele, a economia dos Estados Unidos ainda enfrenta muitos riscos e incertezas, apesar de o país apresentar um “bom progresso”.

“Tivemos um bom progresso sobre nosso duplo mandato em 2018. O crescimento está forte, a taxa de desemprego cai cada vez mais, e a inflação está equilibrada”, afirmou. No entanto, Evans ressaltou os riscos para a economia norte-americana, com a manutenção das incertezas sobre o crescimento externo e as políticas de comércio. Para ele, este motivo levou o Fed a reafirmar seu posicionamento de “paciência”.

“Como a recente decisão de política monetária reportou, o Comitê será paciente na avaliação das implicações desses desafios para as perspectivas econômicas e determinará ajustes de acordo com a política”, disse. Para ele, a política monetária com objetivo orientado é a chave para atingir os objetivos do banco central. “Para revolver o problema [da inflação correr abaixo do alvo], o Fed está disposto a ‘abraçar’ uma taxa de inflação de acima de 2% com a mesma frequência que 50% do tempo”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com