Europa deve crescer 2,3% em 2018, aponta FMI

08/11/2018 13:20:09

Por: Pâmela Reis / Agência CMA

São Paulo – O Fundo Monetário Internacional (FMI) rebaixou as projeções de crescimento da economia europeia para este ano e os dois próximos, citando a piora no ambiente externo em meio a tensões comerciais, entre outros fatores.

No relatório de Projeções Econômicas Regionais para o continente europeu – incluindo países de dentro e de fora da União Europeia -, o fundo prevê alta de 2,3% no Produto Interno Bruto (PIB) deste ano e de 1,9% em 2019 e em 2020. No documento anterior, publicado em abril, as projeções eram de 2,6% para 2018, 2,2% para 2019 e 2,0% para 2020. Em 2017, a Europa cresceu 2,8%.

“A demanda doméstica, apoiada por emprego e salários mais fortes, continua a ser o principal motor do crescimento”, diz o documento. “No entanto, o ambiente externo se tornou menos favorável e deve se enfraquecer ainda mais em 2019 devido à desaceleração da demanda global, às tensões comerciais e aos preços mais altos de energia”.

As condições financeiras mais apertadas nos países emergentes também pesam sobre a atividade econômica. Para o FMI, os riscos estão aumentando. No médio prazo, o atraso nos ajustes fiscais e estruturais podem prejudicar o crescimento, assim como as mudanças demográficas, a desigualdade crescente e a queda da confiança nas políticas públicas. Por fim, a possibilidade de um Brexit sem acordo pode impor barreiras ao comércio entre Reino Unido e União Europeia, com reflexos negativos.

Apenas para as economias avançadas da Europa, a previsão de crescimento do FMI passou de 2,3% para 2,0% este ano, de 2,0% para 1,9% em 2019 e ficou estável em 1,7% em 2020. Já para os europeus emergentes, a projeção de 2018 passou de 3,1% para 2,9%, a de 2019 caiu de 2,7% para 2,0% e a de 2020 saiu de 2,5% para 2,4%.

Deixar um comentário