Eunício nega que esteja colocando pautas-bomba em votação

08/11/2018 16:17:11

Por: Gustavo Nicoletta/Agência CMA

Senador Aécio Neves (PSDB-MG) conversa com o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente da Comissão de Constituição e Justiça, durante discussão sobre novos critérios para dívidas dos estados com a União

Senador Aécio Neves (PSDB-MG), à esquerda, e o presidente da CCJ, senador Eunicio Oliveira (PMDB-CE).

Brasília- O presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), negou esteja colocando “pautas-bomba” em votação com a intenção de prejudicar o próximo governo. As informações são da Agência Senado. A polêmica surgiu depois de os senadores aprovarem ontem um aumento salarial de 16,4% aos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e à procuradora-Geral da República, algo criticado pelo presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Não houve acréscimo de despesa porque todos nós temos um teto (criado pela Emenda Constitucional 95/2016). O Judiciário e o Ministério Público vão ter que adequar seu teto para pagar seus funcionários. Não houve acréscimo nenhum de despesa nesse caso. Houve acréscimo de determinada rubrica e o Judiciário vai ter que cortar gastos em outros pontos para não ultrapassar o teto”, disse Eunício.

O presidente do Senado disse ainda que o Congresso Nacional não pode deixar de discutir e votar matérias, inclusive aquelas que fixam gastos para o Poder Executivo. Eunício Oliveira afirmou, no entanto, que está à disposição do presidente eleito, Jair Bolsonaro, para discutir “adaptações” no Orçamento de 2019.

“É natural que a gente possa discutir as matérias, as pautas e o Orçamento do próximo ano. Com temos mudança de gestor, um novo presidente, ele tem a liberdade de falar comigo quando quiser para discutir adaptações. Estou aberto para discutir qualquer matéria. Se houver o convencimento de que essa matéria criará problemas para o Brasil, ela poderá não ter o meu apoio”, acrescentou.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA (g.nicoletta@cma.com.br)

Deixar um comentário