EUA ameaçam Irã com sanções após aumento de enriquecimento de urânio

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – Os Estados Unidos voltaram a ameaçar o Irã com novas sanções econômicas, após Teerã começar a ultrapassar o limite de enriquecimento de urânio permitido pelo acordo nuclear assinado em 2015 com várias potências globais.

Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo. Foto: State Department photo/ Public Domain

“A mais recente expansão de seu programa nuclear do Irã levará a mais isolamento e sanções. As nações devem restaurar o padrão de longa data de não enriquecimento para o programa nuclear do Irã. O regime do Irã, armado com armas nucleares, representaria um perigo ainda maior para o mundo”, disse o secretário de estado norte-americano, Mike Pompeo, no Twitter.

O Irã havia ameaçado adotar a partir de ontem medidas para se afastar do acordo nuclear, incluindo o enriquecimento de urânio acima do teto de pureza de 3,67%, caso os países europeus não apoiassem o país contra as sanções dos Estados Unidos.

Um porta-voz da agência de energia atômica do Irã disse que o país começou a enriquecer urânio em 4,5% na manhã de hoje. Em maio, o país havia anunciado que deixaria partes do acordo nuclear, assinado com Estados Unidos, Rússia, China, França, Alemanha e Reino Unido em 2015, para reduzir seu programa nuclear em troca do alívio de sanções econômicas.

O presidente norte-americano, Donald Trump, retirou o país do acordo nuclear e reimpôs sanções ao Irã em 2018. Os países europeus permanecem no pacto, e os ministros de Relações Exteriores da União Europeia (UE) vão se reunir no dia 15 de julho para definir uma resposta às violações do Irã.