Estados com boa nota de crédito podem passar de 10 para 4 em 2020

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – O número de estados que possuem uma nota de crédito boa o suficiente para receber garantias da União em novos empréstimos caiu de onze no ano passado para dez neste ano e pode encolher para quatro a partir do ano que vem, segundo análise do Ministério da Economia.

O governo federal mede a capacidade de pagamento dos 26 Estados e do Distrito Federal avaliando os níveis de endividamento, poupança corrente e liquidez de cada uma destas administrações. Com base nessa avaliação, são atribuídas as notas “A” e “B” – as duas melhores, que abrem espaço para empréstimos garantidos pela União – e “C” e “D’ – as duas piores, que impedem a tomada dos empréstimos garantidos.

O único estado com nota “A” é o Espírito Santo. Acre, Alagoas, Amazonas, Ceará, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná e São Paulo possuem nota “B”, sendo que o Piauí passou a integrar o grupo neste ano, após ter recebido nota “C” em 2018.

Amapá e Rondônia, que em 2018 tinham nota “B”, foram rebaixados para o grupo da nota “C” neste ano, fazendo companhia para Bahia, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins, que já estavam nesta faixa.

Os estados com a nota “D” são Minas Gerais, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

O governo federal, porém, alertou que “Acre, Pará, Paraíba, Piauí, Paraná e São Paulo estão próximos de perder o seu rating ‘B’, pois a relação entre despesa corrente e receitas correntes já se encontra bem próxima da margem de 95%.”

“Para esses Estados, faz-se necessário esforço maior em aumentar a receita e cortar gastos, pois a nota poderá ser rebaixada para ‘C’ já no próximo ano”, acrescentou.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com