Espero que Câmara mantenha decreto das armas, diz Bolsonaro

Por Gustavo Nicoletta

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro pediu à Câmara dos Deputados que vá na direção contrária à do Senado e mantenha em vigor o decreto assinado por ele para regulamentar a posse e o porte de armas.

Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro na 8ª reunião do Conselho de Governo. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Ontem à noite, o Senado aprovou, por 47 votos a 28, um Projeto de Decreto Legislativo (PDL) que anula o decreto assinado em maio por Bolsonaro, que autorizava a concessão de porte a 20 categorias profissionais e aumentava de 50 para 5 mil o número de munições disponíveis anualmente a cada proprietário de arma de fogo. A Câmara ainda precisa votar sobre o assunto.

“Esperamos que a Câmara não siga o Senado, mantendo a validade do nosso Decreto, respeitando o Referendo de 2005 e o legítimo direito à defesa”, disse Bolsonaro em sua conta no Twitter, referindo-se à consulta sobre a proibição do comércio de armas de fogo e munições no país, feita 14 anos atrás. Na ocasião, a medida foi rejeitada por 63,9% dos votos válidos.

“Quem deixa de ter acesso a armas de fogo com leis de desarmamento, o
cidadão que quer apenas se proteger ou o criminoso, que, por definição, não segue as leis? O direito à legítima defesa não pode continuar sendo violado! Nem todo mundo possui condição de ter seguranças armados”, acrescentou o presidente, também no Twitter.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com