Empresa entra com processo para receber US$ 1,2 bi da BSG Resources

São Paulo – A Vale informou que entrou com um processo na Justiça de Nova York, nos Estados Unidos, contra a BSG Resources para fazer valer a decisão arbitral da London Court of International Arbitration de US$ 1,2 bilhão a fazer da mineradora.

A decisão é referente a fraude e violações de representação e garantias feitas pela BSGR, de propriedade do bilionário israelense Beny Steinmetz, ao induzir a Vale a adquirir 51% nas concessões detidas pela BSGR para desenvolver o que é reportado como sendo o maior depósito inexplorado de minério de ferro do mundo, em Simandou, na República da Guiné, e na concessão adjacente de Zogota.

Para tal operação, a Vale pagou um preço inicial de US$ 500 milhões e investiu mais de US$ 700 milhões, principalmente em Zogota, até que o governo da Guiné revogasse as concessões, com base em evidências de que a BSGR as teria obtido por meio de atos de corrupção.

De acordo com a mineradora brasileira, a decisão arbitral foi baseada numa investigação do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, na qual um dos associados de Steinmetz, Frederic Cilins, foi gravado tentando obter e destruir, sob as ordens de Steinmetz, documentos que o incriminavam por conter evidências da corrupção.

“A Vale entrou e irá entrar com outros processos judiciais em outros países para fazer cumprir a decisão arbitral contra a BSGR, assim como contra pessoas conectadas com o caso, as quais a Vale acredita serem responsáveis solidários pela decisão, ou tenham recebido os pagamentos da Vale para BSGR, ou que tenham sido, de alguma maneira, responsáveis pelas perdas da Vale, conforme determinação do tribunal arbitral”, diz o comunicado.

Leandro Tavares / Agência CMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com