Economistas mantém previsão de crescimento do PIB em 2017

17/07/2017 10:21:25

Por: Olívia Bulla

São Paulo – Os economistas ouvidos pelo Banco Central (BC) no relatório Focus mantiveram a estimativa para o desempenho da economia brasileira em 2017 em alta de 0,34%, de +0,40% há quatro semanas. Para 2018, a previsão de crescimento mais acelerado do Produto Interno Bruto (PIB) ficou em 2,00%, pela segunda vez seguida.

A estimativa para a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB passou de 51,60% para 51,70% neste ano, na terceira revisão seguida, e foi de 55,10% para 55,15% no ano que vem. Em relação ao desempenho da produção industrial, a estimativa para 2017 subiu pela terceira vez, de 0,84% para 0,97%, enquanto para 2018 ficou em 2,30%, pela terceira semana seguida.

Edifício do Banco Central em Brasília (Foto: Divulgação/Banco Central)

Além disso, os economistas reduziram a previsão para a taxa básica de juros ao final de 2017 pela segunda vez seguida, de 8,25% para 8,00%, enquanto a taxa média de juros para este ano caiu de 10,22% para 10,16%. Já a previsão para a reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) neste mês interrompeu seis semanas seguidas de estabilidade e caiu de 9,50% para 9,25%.

Essa estimativa reflete uma alteração na previsão de redução do ritmo de corte da Selic na reunião de julho e projeta, agora, estabilidade no ritmo, com queda de 1 ponto percentual no encontro deste mês. Para 2018, a estimativa para a Selic ficou em 8,00% ao final do ano que vem, enquanto a média para o período caiu pela terceira semana seguida, de 8,17% para 8,00%.

A projeção dos economistas para a inflação medida pelo Indice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) para os próximos 12 meses caiu de 4,47% para 4,37%, após duas revisões seguidas para cima. Já para 2017, a estimativa para a inflação oficial no país caiu pela sétima vez, de 3,38% para 329%, segundo o relatório de mercado Focus.

Ainda conforme o documento, a previsão para o IPCA em 2018 recuou pela sexta semana consecutiva, de 4,24% para 4,20%. Considerando-se apenas o mês de julho, a previsão caiu de 0,19% para 0,17%, enquanto para agosto passou de 0,25% para 0,23%, após cinco semanas seguidas de estabilidade. Em todo o ano de 2017, a mediana das expectativas para os preços administrados caiu pela quinta vez, de 5,08% para 5%, enquanto para 2018 ficou em 4,70%, pela terceira vez.

Edição: Eliane Leite (e.leite@cma.com.br)

Deixar um comentário