Deutsche Bank vai demitir 18 mil funcionários

Por Cristiana Euclydes

Karl von Rohr, executivo-chefe de administração do Deutsche Bank. (Foto: Divulgação/Deutsche Bank)

São Paulo – O Deutsche Bank anunciou que vai reduzir sua presença em operações globais e que vai eliminar 18 mil empregos até 2022, como parte de uma reestruturação ampla para melhorar sua rentabilidade.

Em comunicado, o Deutsche Bank disse ontem que sua unidade de investimentos será reduzida, com alguns setores colocadas à venda. O banco vai deixar suas operações globais de ações e corretagem, mantendo alguns serviços, como subscrição de ações. A empresa também vai reduzir suas operações de renda fixa.

O objetivo é focar nos serviços às empresas europeias e clientes de varejo, em operações como gestão de ativos e câmbio, diz o banco. “O que anunciamos é nada menos que uma reconstrução fundamental do Deutsche Bank”, segundo o executivo-chefe da empresa, Christian Sewing. “A transformação nos aproximará de nossa força central, nosso DNA”.

As ações de reestruturação incluirão uma redução da força de trabalho de aproximadamente 18 mil empregados, para 74 mil, até 2022. No total, o banco espera reduzir os custos ajustados em aproximadamente 6 bilhões de euros, para 17 bilhões de euros em 2022.

Além disso, incluindo os encargos relacionados com a reestruturação, o Deutsche Bank espera reportar um prejuízo líquido no segundo trimestre de 2019, de aproximadamente 2,8 bilhões de euros.