Confiança da construção cai pela segunda vez seguida em março

São Paulo – O Indice de Confiança da Construção (ICST) caiu pelo segundo mês consecutivo em março, em 2,5 pontos em relação a fevereiro, no maior recuo mensal desde junho de 2018, a 82,5 pontos. Trata-se do menor nível do indicador desde outubro do ano passado, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Segundo a coordenadora de projetos da construção da FGV/Ibre, Ana Maria Castelo, o ritmo muito lento de crescimento da economia está minando a confiança mostrada pelos empresários da construção ao final de 2018. “Em março, a percepção que prevaleceu foi de que a atividade retrocedeu, abalando também a confiança na melhora de curto prazo”, diz.

Para ela, o resultado deste mês acende uma luz amarela que reforça a preocupação com a retomada dos investimentos. A abertura do dado mensal mostra que o resultado do ICST foi influenciado pela piora tanto da situação atual quanto das perspectivas. Na passagem de fevereiro para março, o Indice da Situação Atual (ISA) recuou 2,4 pontos, a 72,0 pontos, no menor nível desde agosto, enquanto o Indice de Expectativas (IE) caiu 2,5 pontos, a 93,5 pontos.

Já o Nível de Utilização da Capacidade (Nuci) da construção teve queda de 1,7 ponto percentual (pp) em março, a 65,3%. Entre os componentes do ICST, o resultado negativo do ISA neste mês veio dos indicadores que medem o grau de satisfação com a situação atual dos negócios e a percepção sobre a situação atual da carteira de contratos, enquanto o IE foi influenciado pela queda no otimismo com a demanda prevista nos três meses seguintes.

A edição de março da sondagem coletou informações de 553 empresas entre os dias 1 e 22 deste mês. A próxima divulgação ocorrerá em 26 de abril.

Olívia Bulla / Agência CMA

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com