Companhia reverte prejuízo e tem lucro de R$ 1,190 bi no 2T18

08/08/2018 09:51:45

Por: Eliane Leite / Agência CMA

São Paulo – A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) obteve lucro líquido de R$ 1,190 bilhão no segundo trimestre, revertendo o prejuízo registrado no mesmo intervalo do ano anterior, de R$ 640,0 milhões. Segundo a companhia o resultado foi favorecido, principalmente, pelo ganho com a venda da CSN LLC. O lucro surpreende a expectativa dos analistas consultados pela Agência CMA, que previam prejuízo de R$ 277,0 milhões.

A receita líquida da CSN no trimestre somou R$ 5,687 bilhões, alta de 32,0% na comparação anual. O ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado somou  R$ 1,420 bilhão, com avanço de 58,0% em relação ao ebitda de R$ 896,0 milhões do segundo trimestre de 2017. Analistas esperavam receita de R$ 5,283 bilhões e ebitda de R$ 1,272  bilhão.

A CSN destaca que a melhora na receita ocorreu em razão dos aumentos nos preços dos produtos siderúrgicos, no volume e preço realizado no segmento de mineração e pela evolução nos segmentos de logística ferroviária, cimento e energia.

No final do segundo trimestre, a alavancagem da companhia – relação dívida líquida sobre ebitda ajustado – ficou em 5,34 vezes, caindo em relação ao patamar do segundo trimestre do ano passado. De 5,67 vezes.  Já a dívida líquida consolidada da CSN somou R$ 27,125 bilhões, alta de 2,0% em relação ao final do trimestre anterior e de 1,0% frente ao final do mesmo período em 2017. Os números incluem a participação proporcional na MRS Logística e CBSI.

DADOS OPERACIONAIS

As vendas de aço cresceram 13,0% na comparação anual, para 1,321 milhão de toneladas. Já a produção total de laminados totalizou 996 mil toneladas, queda de 3,7% na comparação com o mesmo trimestre do ano passado.

A CSN vendeu ainda 8,130 milhões de toneladas de minério de ferro no trimestre, alta de 4,0% em relação ao total vendido no mesmo intervalo do ano passado. A produção de minério de ferro somou 6,744 milhões de toneladas no período, queda de 15,0% na comparação anual.

Deixar um comentário