Comissão Europeia reduz projeção para PIB da eurozona em 2019

08/11/2018 16:51:28

Por: Pâmela Reis / Agência CMA

(Foto: Freeimages.com/Päivi Tiittanen)

São Paulo – A Comissão Europeia rebaixou de 2,0% para 1,9% a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) da zona do euro em 2019, citando riscos crescentes e interconectados tanto no cenário doméstico quanto no externo. Para 2018, a projeção foi mantida em 2,1%. A Comissão também publicou pela primeira vez a previsão para o crescimento em 2020, que é de 1,7%.

Segundo o relatório, o crescimento econômico do bloco monetário atingiu um pico em 2017, quando a expansão foi de 2,4%, mas o impulso extraordinário vindo da retomada global e do comércio exterior já está se dissipando, ao mesmo tempo em que as tensões comerciais aumentam.

“A economia da União Europeia (UE) está enfrentando um nível muito alto de incertezas, principalmente com relação às políticas econômicas e comerciais dos Estados Unidos”, diz o documento. “Ao mesmo tempo, os riscos negativos em torno do cenário central estão altamente interconectados. A materialização de qualquer um destes riscos pode amplificar os outros e aumentar seus impactos na economia da UE”.

A Comissão cita, entre as ameaças, o possível superaquecimento da economia norte-americana, como resultado dos estímulos fiscais, o que resultaria num aperto monetário mais agressivo que o esperado e afetaria o apetite por risco dos investidores. Isso também teria reflexos negativos nos mercados emergentes, o que, por sua vez, impactaria o crescimento e a estabilidade nos países avançados.

As disputas comerciais também estão no centro das atenções e, se agravadas, podem pesar sobre a confiança, os investimentos, o comércio e o crescimento mundial. “Dada sua alta integração com as cadeias de valores globais, a Europa seria particularmente vulnerável a choques externos deste tipo”, diz a Comissão. O relatório cita ainda a fragilidade fiscal da Itália e o Brexit como fatores que causam cautela.

Por outro lado, a força dos motores domésticos de crescimento deve ser suficiente para permitir que a atividade econômica da UE continue se expandindo, ainda que em ritmo mais lento, e que o desemprego continue se reduzindo. Para os 28 países da União Europeia, a Comissão manteve a projeção de crescimento de 2,1% em 2018, e também reduziu de 2,0% para 1,9% a projeção para 2019.

Excluindo o Reino Unido, que deve se desligar do bloco europeu em março do ano que vem, a previsão de crescimento da UE em 2019 é de 2,0%, 0,1 ponto percentual abaixo da previsão feita no relatório anterior, publicado em julho. Já para 2020, a previsão de crescimento da UE com Reino Unido é de 1,8% e, sem Reino Unido, de 1,9%.

A Comissão Europeia também publicou previsões para o crescimento da economia mundial. Este ano a expansão deve ser de 3,7%, desacelerando para 3,5% em 2019 e mantendo o mesmo percentual em 2020. O relatório de julho não trazia projeções mundiais, mas o anterior, de maio, apontava alta de 3,9% em 2018 e em 2019.

Deixar um comentário