Com reforma em setembro, economia só anda a partir de 2020, diz presidente do Bradesco

Por Wilian Miron

São Paulo – A economia brasileira só deve ter uma retomada consistente a partir do primeiro semestre de 2020, caso a reforma da Previdência seja aprovada entre agosto e setembro deste ano, disse o presidente do Bradesco, Octávio Lazari.

Foto: Divulgação/Bradesco

“Este é um ano perdido, por isso calculamos um crescimento de aproximadamente 1,1%. Se ela for aprovada neste prazo, devemos ter um pequeno respiro no quarto trimestre e crescimento mesmo a partir do ano que vem”, disse ele durante evento com empresários do setor imobiliário promovido pelo sindicato da habitação, o Secovi-SP.

O executivo disse, ainda, que não é possível abrir mão de uma reforma que gere ao menos R$ 1 trilhão de economia em dez anos, uma vez que isso levaria à necessidade de novas reformas nos próximos cinco anos. “Não podemos perder mais tempo com isso. Depois da previdência, teremos ainda a reforma Fiscal, com simplificação tributária e uma agenda para promover o crescimento”, disse ele.

Lazari também afirmou que o país não precisa ter um grande crescimento num curto espaço de tempo, e que seria preferível crescer entre 3% e 4% durante um prazo maior. “Se crescermos assim por um longo prazo, a gente arruma o país”.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com