Com Páscoa, vendas no varejo crescem 1,9% em abril, aponta ICVA

São Paulo – As vendas no varejo brasileiro cresceram 1,9% em abril na comparação com o mesmo mês do ano passado, já descontada a inflação, de acordo com o Indice Cielo do Varejo Ampliado (ICVA).

Em termos nominais, que espelham a receita de vendas efetivamente realizadas pelo varejista, o ICVA apresentou alta de 7,2%, afetado positivamente pelo calendário do mês, uma vez que o feriado de Páscoa, onde as vendas são mais fortes, caiu no mês. Houve também uma terça-feira a mais e um domingo – dia fraco para o comércio varejista – a menos que em abril de 2018.

Houve uma alta de 11,8% nas vendas na semana que antecedeu o feriado ante o mesmo período que antecedeu a Páscoa em 2018.

Ao ajustar o ICVA deflacionado para o efeito do calendário, observa-se alta de 0,8% nas vendas em relação a abril do ano passado. O ICVA nominal, por sua vez, registrou alta de 6,1% em relação ao mesmo mês do ano passado. Dessa forma, foi possível perceber uma desaceleração no aumento das vendas em comparação com março, tanto no cenário em que a inflação é descontada quanto no cenário em que não é levada em consideração.

“Abril apresentou o ritmo de crescimento mais baixo dos últimos 12 meses. Diferente da trajetória verificada em 2018, na qual a aceleração das vendas era constante, temos percebido um movimento mais lento em 2019”, afirma Gabriel Mariotto, diretor de inteligência da Cielo.

Os três blocos que compõem o ICVA apresentaram desaceleração na passagem de março para abril, já considerando os ajustes de calendário. Para o bloco de Bens não Duráveis, o desempenho negativo foi puxado principalmente pelos setores de Drogarias e Farmácias e Cosméticos e higiene pessoal.

Por outro lado, o setor de Varejo alimentício especializado contribuiu positivamente, influenciado principalmente pela Páscoa neste mês. O grupo de setores de Bens Duráveis e Semiduráveis também apresentou desaceleração na passagem mensal, puxado pelas quedas de ritmo de setores como Vestuário e Materiais para Construção. Finalmente, no bloco de setores de Serviços, apesar do desempenho positivo do setor de Alimentação em Bares e Restaurantes, o setor de Turismo e Transporte, que apresentou alta na inflação, puxou o índice para baixo.

Allan Ravagnani

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.