Ciro Gomes defende que Banco Central não tenha meta de inflação

12/09/2018 15:18:03

Por: Priscilla Oliveira / Agência CMA

O então deputado federal Ciro Gomes (PSB-CE) fala à imprensa, em 2010
(Foto: Roosewelt Pinheiro/Agência Brasil)

Brasília – O Banco Central não deve ter uma meta de inflação e sim perseguir a menor inflação possível e a maior geração de empregos, afirmou o candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, em sabatina para os jornais “O Globo”, “Valor Econômico” e revista “Época”.

O candidato defendeu uma mudança nas prerrogativas da instituição e uma autonomia menor passando a ser subordinado ao presidente da República. “O Banco Central terá duplo comando, para ter a menor inflação e o maior emprego. E o Banco Central será subordinado a mim”, afirmou.

CANDIDATURA HADDAD

Em relação ao candidato do PT, Fernando Haddad, anunciado ontem pelo partido para substituir Luiz Inácio Lula da Silva, que teve o registro de candidatura negado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ciro afirmou que tem apreço pelo candidato, mas que eles têm ideias diferentes e que o petista não “conhece o país”. Para ele, a demora na troca de candidato demonstra que o ex-presidente Lula perdeu a “percepção de realidade” porque está isolado na prisão e cercado por puxa-sacos.

Ciro revelou ainda que foi convidado por Lula para ser vice-candidato na chapa do PT, mas que no momento já havia sido registrado como candidato do PDT e que não aceitaria por não concordar com a imagem de vice-figurativo proposta.  “O Brasil não aguenta outra Dilma nesse sentido de uma pessoa assumir porque é indicada pelo Lula. Não podemos ter outro presidente por procuração”. Ele afirmou ainda que o papel de “presidente por procuração” será o papel que Haddad irá cumprir, caso eleito.

O candidato criticou ainda o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, e seu vice General Mourão. “O Bolsonaro é o pior para o País. Bolsonaro representa a destruição da nação brasileira. Ele não acredita nas ideias do Paulo Guedes e o Posto Ipiranga que ele prega. Está atuando um papel, e Paulo Guedes tem ideias ruins também”.

Sobre o sargento Mourão, Ciro afirmou que “ele acha que solução é botar um sargentão para botar ordem? Feel free, mas eu vou lutar contra isso. General Mourão é um jumento de carga. Olha para quem estamos perigando entregar nosso País?”, declarou.

Edição: Eliane Leite (e.leite@cma.com.br)

 

Deixar um comentário