China vai impor sanções a empresas dos EUA por venda de armas a Taiwan

Porta-voz do Ministério de Relações Exteriores da China, Geng Shuang. (Foto: Divulgação/ Ministério de Relações Exteriores da China)

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – A China vai aplicar sanções a empresas dos Estados Unidos que participarem da venda de US$ 2,2 bilhões em armas para Taiwan, de acordo com o Ministério de Relações Exteriores chinês.

“Para salvaguardar os nossos interesses nacionais, a China imporá sanções às empresas dos Estados Unidos envolvidas nas vendas de armas para Taiwan”, disse o porta-voz do ministério, Geng Shuang, em coletiva de imprensa.

Ele afirmou que as vendas de armas dos Estados Unidos para Taiwan constituem uma violação grave do princípio de uma só China e dos três comunicados conjuntos entre a China e os Estados Unidos. “Também enfraquece a soberania e a segurança nacional da China”, afirmou.

No início da semana, o Departamento de Estado norte-americano aprovou um pacote de venda de armas para Taiwan, em um acordo de US$ 2,2 bilhões para fornecer tanques e mísseis antiaéreos, entre outros equipamentos militares.

A China e os Estados Unidos assinaram, na década de 70 e no início dos anos 80, três comunicados conjuntos que estabeleceram relações diplomáticas entre eles, mas Washington sempre manteve um compromisso especial com Taiwan. A ilha tem um governo autônomo desde a Revolução Chinesa de 1949.