Casa Branca será agressiva em negociações com China, diz Kudlow

São Paulo – O assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow, disse que o desempenho forte da economia dos Estados Unidos permite que o país seja agressivo nas negociações comerciais com a China. As conversas serão retomadas na próxima semana, em Pequim.

“A economia da China está desacelerando e faz algum tempo. A economia dos Estados Unidos, como eu digo, está neste ciclo de prosperidade sem fim à vista”, disse Kudlow, em entrevista à “CNBC”. “Então, nós acreditamos que isso nos dá alguma vantagem, se você quiser”, disse.

“Por causa de nossa força e porque a China precisa abrir sua economia para melhorar suas perspectivas de crescimento, nós seremos muito agressivos”, disse ele. Mais cedo, Departamento do Comércio norte-americano divulgou que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresceu 3,2% no primeiro trimestre de 2019 em base anualizada, superando a projeção de 2,5% dos analistas.

Na semana que vem, o representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, vão a Pequim dar continuidade às negociações comerciais com a China, a partir do dia 30 de abril. O vice-primeiro-ministro chinês Liu He liderará as negociações para a China.

Na semana seguinte, a partir do dia 8 de maio, uma delegação chinesa irá a Washington, lidera pelo vice-primeiro-ministro. As conversas incluem uma série de questões, como propriedade intelectual e transferência de tecnologia, além da demanda norte-americana por maiores compras pela China de produtos dos Estados Unidos e por uma maior abertura do mercado chinês.

Cristiana Euclydes / Agência CMA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com