Bolsonaro reforça aliança com Trump em visita a Washington

POR: GUSTAVO NICOLETTA E CAROLINA GAMA/ AGÊNCIA CMA

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro disse que quer ver os Estados Unidos e o Brasil sendo grandes e reiterou que “fará o possível” em parceria com os norte-americanos para pressionar por uma mudança de governo na Venezuela.

O presidente brasileiro, porém, recusou-se a assumir publicamente qualquer compromisso militar firme para atingir este objetivo. Ao ser questionado sobre a possibilidade de permitir a instalação de uma base militar dos Estados Unidos no Brasil, Bolsonaro disse que “certas questões, se você divulgar, deixam de ser estratégicas”.

Em entrevista coletiva concedida após reunião com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Bolsonaro ressaltou que o país e o Brasil fecharam acordos de cooperação nas áreas de negócios, no combate ao terrorismo e também na área militar – em particular um acordo de salvaguardas que permitirá aos Estados Unidos usar a base de Alcântara (MA) para o lançamento de foguetes.

Bolsonaro também disse que os Estados Unidos reconhece que o Brasil está capacitado a aderir à Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) será “um gesto de reconhecimento” que marcará ainda mais a união entre as duas nações.

A VISÃO DE TRUMP

Trump, por sua vez, disse que o governo de Bolsonaro compartilha das mesmas visões e princípios que sua administração em vários pontos, incluindo o comércio. Segundo ele, os dois países devem reforçar os laços e lançar novo capítulo em cooperação.

“Estados Unidos e Brasil querem aprofundar laços baseados na reciprocidade. A visão de Bolsonaro sobre uma economia aberta é o melhor caminho para o Brasil”, afirmou Trump na coletiva com Bolsonaro.

Trump lembrou a atuação do Brasil na crise da Venezuela, apoiando o autoproclamado presidente interino e líder da oposição, Juan Guaidó, e os imigrantes que cruzam a fronteira entre os dois países. “Estados Unidos e Brasil compartilham a mesma visão sobre Venezuela, Cuba e Nicarágua”, disse Trump. “Não queremos a volta do socialismo”, acrescentou.

O presidente norte-americano reafirmou declaração feita mais cedo, indicando que apoia o Brasil como um aliado da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e também na OCDE.

“Podemos designar o Brasil como um não membro aliado da Otan e também apoiamos a entrada do Brasil na OCDE, que será muito positiva para os brasileiros”, afirmou. Esse apoio, no entanto, não virá de graça. “Vamos pedir uma contrapartida, não necessariamente nessa mesma área”, acrescentou.

Trump também comentou sobre a parceria entre Estados Unidos e Brasil no setor aeroespacial. Os dois países assinaram o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas, que permite o uso comercial da base de lançamentos aeroespaciais de Alcântara, no Maranhão. “A parceria com os Estados Unidos no setor aeroespacial será muito positiva para o Brasil”, completou Trump.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com