Bolsonaro promete corrigir tabela do IR pela inflação em 2020

Por Gustavo Nicoletta

Celular com aplicativo de declaração do Imposto de Renda da Receita Federal. (Foto: Marcello Casal Jr/ Agência Brasil )

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro disse que no ano que vem o governo vai corrigir pela inflação a tabela com os valores que determinam as alíquotas do Imposto de Renda (IR). A última vez em que houve correção foi em 2015.

“Hoje em dia o Imposto de Renda é redutor de renda. Falei para o [ministro da Economia] Paulo Guedes para no mínimo este ano corrigir de acordo com a inflação a tabela para ano que vem. Se for possível, ampliar aquele limite de desconto com educação, saúde”, disse Bolsonaro ontem em entrevista à rádio Bandeirantes.

“Isso é orientação que eu dei para ele. Espero que ele cumpra, porque orientação não é ordem, mas pelo menos corrigir o Imposto de Renda pela inflação, isso vai sair”, acrescentou.

A tabela de Imposto de Renda atualmente prevê cinco faixas para o cálculo das alíquotas, que são progressivas – vão desde zero até 27,5%. Hoje, estão isentas do pagamento do IR pessoas que ganham até R$ 1.903,98 por mês, ou até R$ 22.847,76 por ano.

De acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores da Receita Federal (Sindifisco), a falta de correção na tabela do IR acumulada desde 1996 até janeiro deste ano deixou os valores usados para o cálculo do imposto com uma defasagem de 95,46% em relação à inflação acumulada no mesmo período.

Isso significa que quem ganha até R$ 3,721,52 por mês deveria estar isento do IR se a tabela tivesse sido corrigida pela inflação nos últimos anos.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com