Bolsonaro defende nova Previdência em rede nacional

Por Gustavo Nicoletta

O presidente Jair Bolsonaro. (Foto: Agência Brasil)

São Paulo – O presidente Jair Bolsonaro defendeu a reforma da Previdência ontem em um pronunciamento feito em rede nacional, e aproveitou o discurso para agradecer os deputados aliados e o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), pelo empenho na aprovação do projeto na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC).

“Temos certeza que a nova Previdência vai fazer o Brasil retomar o crescimento, gerar empregos e, principalmente, reduzir a desigualdade social, porque com a reforma os mais pobres pagarão menos”, disse Bolsonaro no pronunciamento.

“É muito importante lembrar que, se nada for feito, o País não terá recursos para garantir uma aposentadoria para todos os brasileiros. Sem mudanças, o governo não terá condições de investimento nas áreas mais importantes para as famílias, como a saúde, educação e segurança”, acrescentou.

O discurso do presidente em rede nacional foi o gesto mais claro de apoio dele à reforma da Previdência nos últimos meses, e ocorre algumas semanas depois de Olavo de Carvalho, tido como referência intelectual do governo, ter dito que Bolsonaro deveria se comunicar mais com a população por meio deste tipo de ferramenta, visto que as transmissões ao vivo na Internet feitas pelo presidente alcançam muito menos pessoas.

Durante o pronunciamento, Bolsonaro também aproveitou para exaltar os partidos aliados ao governo e o presidente da Câmara pelo esforço para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019, que traz a reforma previdenciária – um outro sinal relevante que reforça a percepção de maior entendimento entre o Executivo e o Legislativo e sugere que o presidente está tentando garantir aos políticos que ajudarem o governo o prestígio que vinha sendo cobrado por congressistas.

“Agradeço o empenho e trabalho da maioria dos integrantes da comissão e também o comprometimento do presidente Rodrigo Maia. A proposta segue agora para a comissão especial, onde os deputados vão discutir os detalhes do projeto. O governo continua a contar com espírito patriótico dos parlamentares para a aprovação da nova Previdência nesta segunda etapa e também, posteriormente, no plenário da Câmara dos Deputados.

A comissão especial que avaliará a reforma da Previdência deve ser instalada hoje e terá 49 titulares. O número de suplentes será de 34. O PSL, partido do presidente Bolsonaro, ficará com cinco vagas titulares.

O grupo de partidos que se manifestou formalmente no final de março em prol da diluição de algumas partes da reforma – Cidadania (antigo PPS), DEM, MDB, Podemos, PP, PRB, PR, PSD, PSDB, PTB, Solidariedade – terá 25 assentos na comissão especial.

As demais vagas pertencem ao PSC (1), PMN (1), PDT (2), PROS (1), PCdoB (1), Avante (1), Patriota (1), PV (1), PT (4), PSB (3), PSOL (1), REDE (1) e Novo (1).

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com