Bolsa sobe e dólar cai com otimismo por votação da reforma da Previdência

Por Eduardo Puccioni e Flavya Pereira

São Paulo – O Ibovespa encerrou a sessão de hoje com alta de 1,41% aos 95.923,24 pontos. O volume financeiro do mercado foi de aproximadamente R$ 14,3 bilhões. O índice foi influenciado pelo otimismo dos investidores com a possível votação da proposta da reforma da Previdência ainda hoje na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados. A alta das ações dos frigoríficos colaborou para o avanço.

“Basicamente o mercado subiu por causa da CCJC, com o mercado já esperando pela admissibilidade da proposta da reforma da Previdência, dando andamento ao processo e seguindo para a próxima fase”, afirmou Felipe Fernandes, analista de investimentos da Toro Investimentos.

Até o encerramento desta matéria, os deputados da CCJC haviam aprovado apenas, por 45 votos favoráveis a 2 contra, requerimento que pedia a inversão de pauta da Comissão. Com isso, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que prevê a reforma da Previdência passa a ser o primeiro item na pauta da comissão. Neste momento, parlamentares avaliam outros

requerimentos.

Fernandes destacou também a alta das ações dos frigoríficos, com forte influência no Ibovespa. “BRF, Marfri e JBS estão com alta forte, sendo as duas primeiras as maiores altas do índice. Isso acontece porque está ocorrendo um surto de peste na carne da China e isso abre espaço de mercado para os frigoríficos brasileiros poderem vender mais carne”, explicou Fernandes.

As ações ordinárias da Marfrig (MRFG3) encerraram a sessão com alta de 6,97%, enquanto as ações ordinárias da BRF (BRFS3) apresentaram avanço de 6,85% e as ações ordinárias da JBS (JBSS3) subiram 3,21%.

Para amanhã, Fernandes acredita que o Ibovespa possa seguir subindo se nada de muito negativo for divulgado. “Ibovespa tem força pra segurar como está. Pode manter a alta, mas vai depender do resultado da CCJC e também se algo relevante for divulgado”, afirmou o analista de investimentos da Toro.

O dólar comercial fechou em queda de 0,27% no mercado à vista, cotado a R$ 3,9230 para venda, em sessão de forte volatilidade com investidores atentos à tramitação da reforma da Previdência na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) na Câmara dos Deputados, à espera da votação do parecer de admissibilidade do texto. As notícias de que o governo havia fechado acordo com partidos do Centro movimentou o mercado e levou o dólar a renovar mínimas na sessão.

“O fechamento de acordo entre o governo e os partidos do Centrão, além da postura mais firme e incisiva por parte do presidente da CCJC [Felipe Francischini] ao lidar com as tentativas de obstrução promovidas pela oposição, motivaram esse comportamento mais otimista”, comenta o analista de câmbio de uma corretora nacional.

No fim da manhã, a moeda estrangeira teve “picos de estresse” renovando máximas a R$ 3,9650 (+0,79%) antes da notícia de acordo do governo com o Centrão. “O dólar voltou a cair quando investidores viram que a aprovação da proposta começou a andar na CCJC. Foi a expectativa de que essa fase será superada. O foco agora é a próxima fase, na Comissão Especial”, comenta o operador de câmbio da corretora Advanced, Alessandro Faganello.

Para amanhã, com a agenda de indicadores mais fraca aqui e no exterior, os analistas veem uma tendência de repercussão positiva no mercado quanto à decisão na CCJC. “O dólar terá espaço para recuar um pouco. Agora, passando dessa fase, o foco se volta à próxima etapa, as sessões na Comissão especial. Essas prometem mexer bastante com o mercado”, diz Faganello.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com