Bolsa sobe e dólar após pesquisa Datafolha e cenário externo menos desafiador

11/10/2018 11:35:13

Por: Eduardo Puccioni e Flavya Pereira / Agência CMA

São Paulo – O Ibovespa segue em alta desde a abertura acompanhando o bom humor dos investidores com a pesquisa Datafolha de ontem, que mostrou uma vantagem considerável entre Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) para a disputa do segundo turno das eleições. Além disso, o mercado externo vem apresentando tímida melhora dos indicadores.

“A Europa começou o dia ruim mas está se afastando um pouco das mínimas do dia. Nos estados Unidos as Bolsas parecem que vão seguir com ligeira alta. Aqui não vai ser diferente, ainda mais depois da pesquisa Datafolha dando Bolsonaro na frente para a disputa das eleições”, explicou Alvaro Bandeira, economista-chefe da Home Broker Modalmais.

Por volta das 11h (horário de Brasília), o Ibovespa registrava avanço de 0,98% aos 84.503,93 pontos. O volume financeiro do mercado era de aproximadamente R$ 3,5 bilhões. No mercado futuro, o contrato de Ibovespa com vencimento em outubro de 2018 apresentava alta de 1,22% aos 84.575 pontos.

“Mercado hoje deve seguir em alta, mas lembrando que hoje é um dia complicado, pois amanhã tem mercado lá fora e nós ficaremos fechado por causa do feriado, ou seja, isso pode trazer um pequeno ajusta para o final do dia. Devemos ter volatilidade até a decisão das eleições”, acrescentou Bandeira.

Ontem, pesquisa da Big Data encomendada pela Revista Veja mostrou que Bolsonaro receberia 54% dos votos válidos no segundo turno, contra 46% de Haddad. Na pesquisa Datafolha, divulgada pela Folha de S.Paulo, a vantagem é ainda maior – são 58% dos votos válidos para Bolsonaro. Levantamento da XP Investimentos e da Ipespe divulgado hoje aponta resultado semelhante – 59% dos votos válidos para o candidato do PSL.

O dólar mantém queda em relação ao real influenciado por pesquisas eleitorais mostrando larga vantagem de  Bolsonaro na corrida presidencial e pelo exterior, onde o ambiente é mais positivo para as principais moedas de países emergentes. Às 11h19 (de Brasília), a moeda norte-americana tinha queda de 0,58%, cotada a R$ 3,7420 para venda.

Mais cedo, saíram os dados de setembro da inflação ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos, com leve alta de 0,1%, enquanto o mercado esperava por +0,2%. “Os números vieram um pouco melhor do que o esperado.

Ajudaram em uma queda mais consistente, mas depois o mercado voltou ao nível normal de queda”, diz o gestor de renda fixa da Leme Investimentos, Paulo Petrassi.

“O Datafolha, principalmente, veio muito bom para o Bolsonaro e deve sobrepor os movimentos no exterior. Mas vale ficar atento às declarações do candidato, que vem sendo diferentes do economista da campanha Paulo Guedes. E reforçando que quando ele começar a governar, se ele eleito, será outra coisa”, pondera Petrassi.

No horário acima, o contrato para novembro no mercado futuro caía 0,38%, ao redor de R$ 3,75. Lá fora, o Dollar Index recuava 0,31%, acima dos 95,200 pontos. As principais moedas emergentes mantinham queda firme, com a lira turca, rand sul-africano, rublo russo e a rupia indiana subindo 1% ante o dólar. dato do PSL.

Deixar um comentário