Bebianno pode ser demitido se for responsabilizado após denúncia, diz Bolsonaro

14/02/2019 12:00:43

Por: Gustavo Nicoletta / Agência CMA

São Paulo – O secretário-geral da Presidência, Gustavo Bebianno, pode ser exonerado se restar comprovado que ele está envolvido num esquema de desvio de verbas de campanha do PSL, partido que presidiu, afirmou o presidente Jair Bolsonaro.

Bebianno está no centro de uma crise política que começou após o jornal “Folha de S.Paulo” revelar que membros do PSL teriam criado candidaturas falsas para desviar dinheiro de campanha. O jornal disse também que ele liberou R$ 250 mil para a campanha de uma ex-assessora, que por sua vez gastou parte do dinheiro com uma empresa de fachada.

O secretário também se indispôs com o clã Bolsonaro, depois de dizer ontem que não havia crise nenhuma no governo e que conversou com Bolsonaro sobre o assunto – declaração contestada publicamente por Carlos Bolsonaro, filho do presidente.

Em entrevista concedida ontem à rede de televisão “Record”, o presidente Jair Bolsonaro disse que o PSL “precisa ter consciência” e que é uma “minoria do partido que está aí nesse tipo de operação que não podemos concordar”.

Ele disse também que pediu à Polícia Federal que investigue as denúncias feitas pela “Folha” e acrescentou que se Bebianno “estiver envolvido e, logicamente, for responsabilizado, lamentavelmente o destino não pode ser outro a não ser voltar às suas origens.”

Assim como seu filho Carlos, Bolsonaro também desmentiu o secretário e disse que em “nenhum momento conversei com ele [Bebianno]” disse ser “mentira” que fez telefonemas a respeito das denúncias contra o PSL.

Deixar um comentário