BCE está pronto para agir, se necessário, diz De Guindos

O vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE), Luis De Guindos. Foto: Divulgação/ BCE

Por Cristiana Euclydes

São Paulo – O Banco Central Europeu (BCE) está pronto para agir, se necessário, caso riscos ao crescimento econômico da zona do euro se materializem, disse o vice-presidente da instituição, Luis De Guindos, repetindo a mensagem do presidente do BCE, Mario Draghi.

“Nós permanecemos alertas na sequência do aumento de incertezas
globais”, disse De Guindos, em texto preparado para discurso em um evento, em Madri.

“O Conselho do BCE está, portanto, determinado a agir em caso de contingências adversas e também está pronto a ajustar todos os seus instrumentos, conforme apropriado, para assegurar que a inflação continue a avançar para a meta de inflação do Conselho do BCE de uma forma sustentada”, afirmou ele.

Na semana passada, o Conselho do BCE manteve, em sua reunião de política monetária, inalteradas suas taxas de juros de referência, e adiou suas previsões para a próxima alta de juros, para até ao primeiro semestre de 2020, ante previsão anterior de alta no final de 2019.

Na ocasião, Draghi disse que o alongamento da previsão se deve a incertezas relacionadas a disputas comercias. Ele disse ainda que o BCE está preparado para ajustar todos os seus instrumentos, conforme apropriado, em caso de contingências adversas, para levar à inflação à meta de próximo, mas abaixo de 2% – deixando a porta aberta para possíveis medidas de afrouxamento monetário.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com