BCE deve abordar redução de estímulos com equilíbrio, diz membro

06/12/2017 11:16:11

Por: Cristiana Euclydes / Agência CMA

Foto: Divulgação/BCE

São Paulo – O Banco Central Europeu (BCE) deve adotar uma abordagem equilibrada ao reduzir seu programa de compra de ativos,  disse o membro do conselho da instituição, Yves Mersch, em texto preparado para discurso em um evento, em Frankfurt.

“Se retirarmos nosso estímulo monetário muito cedo e rápido demais, os preços dos ativos podem cair e os juros (yields) aumentar bruscamente, com
efeitos negativos na economia”, disse ele, às vésperas do período de silêncio antes da próxima reunião do BCE, dia 14 de dezembro.

“Ao mesmo tempo, temos que estar cientes de que, na medida em que o programa de compra de ativos continua, os riscos associados a ele podem
aumentar”, afirmou, acrescentando que “um senso de proporção” será crucial na gestão da redução dos estímulos.

Mersch ressaltou que a recuperação da economia na zona do euro continua em ritmo robusto e tanto os salários quanto o núcleo da inflação parecem
acelerar. “Estou confiante de que a aparente desconexão entre crescimento econômico e inflação é um fenômeno temporário e que a dinâmica da
inflação aumentará”, afirmou.

Na reunião mais recente, em outubro, o BCE manteve a compra mensal de 60 bilhões de euros em títulos de dívida até o final deste ano e anunciou a
extensão do programa para o período de janeiro a setembro de 2018 com o montante reduzido de 30 bilhões de euros mensais.

Edição: Pâmela Reis (pamela.reis@cma.com.br)

Deixar um comentário