BC eleva previsão de inflação em 2020 a 3,8% em cenário da Focus

São Paulo – O Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) ajustou para cima a estimativa de inflação para 2020 em relação à previsão divulgada em dezembro, no cenário que usa como parâmetro as projeções econômicas colhidas com analistas do mercado pela pesquisa Focus.

As projeções baseiam-se em um cenário que prevê a Selic em 6,50% ao fim de 2019 e em 7,75% no final do ano que vem. Também supõe taxa de câmbio que termina 2019 em R$3,70 por dólar e 2020 em R$ 3,75 por dólar.

Segundo a edição de março do Relatório Trimestral de Inflação (RTI), a previsão do Copom para a inflação em 2019 ficou estável em 3,9% – mesmo nível observado na edição de dezembro do relatório. “A trajetória de apreciação da taxa de câmbio da pesquisa Focus compensou fatores inflacionários, como o aumento do preço de petróleo e as alterações na evolução dos patamares de bandeiras tarifárias”, disse o BC.

As estimativas para a inflação em 2020 e em 2021, porém, aumentaram em 0,2 ponto porcentual, para 3,8% e 3,9%, respectivamente. “Para esses horizontes mais longos, foram fundamentais o deslocamento do início do aumento da taxa Selic extraída da pesquisa Focus, de setembro de 2019 para março de 2020, e a trajetória de depreciação cambial ao longo desses anos”, acrescentou o BC.

De acordo com o RTI, neste cenário, a chance de a inflação ficar acima ou abaixo dos limites previstos para 2019 são 5% e 15%, respectivamente. “As probabilidades referentes aos limites superior e inferior para os anos seguintes situam-se ao redor de 11% e 17% (2020) e de 17% e 12% (2021)”, acrescentou o BC.

Gustavo Nicoletta / Agência CMA ([email protected])

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com