Barkin, do Fed de Richmond, defende taxa de juros mais alta

08/08/2018 14:23:11

Por: Carolina Gama / Agência CMA

Federal Reserve

Prédio do Federal Reserve em Washington (Federal Reserve/Divulgação)

São Paulo – A taxa de juros baixa nos Estados Unidos não se justifica em um ambiente no qual a economia cresce em ritmo sólido, o mercado de trabalho está aquecido e a inflação está acelerando para a meta de 2% ao ano, disse o presidente da unidade do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) de Richmond, Thomas Barkin.

Segundo ele, apesar de o Fed estar elevando os juros, a taxa ainda não está em níveis considerados normais. O banco central norte-americano já aumentou os juros duas vezes este ano, uma em março e outra em junho, passando-a para a faixa atual de 1,75% a 2,00% ao ano.

“Quando a economia pede para retornar [os juros] aos níveis normais, como é o caso das condições que acabo de descrever, devemos obedecer”, disse Barkin em discurso preparado para evento na Virgínia. Ele tem direito a voto no
comitê de política monetária este ano.

Segundo Barkin, os recentes cortes de impostos e aumentos de gastos públicos reduzem os riscos em torno do aperto monetário, ao mesmo tempo em que taxas mais altas dariam ao banco central mais munição para combater uma
desaceleração futura da economia.

“O nível de elevação de juros, no entanto, depende do crescimento econômico: quanto maior forem as perspectivas de expansão, mais alta deve ser a taxa”, acrescentou.

Edição: Pâmela Reis (pamela.reis@cma.com.br)

Deixar um comentário