Banco central da Rússia eleva taxa de juros de 7,25% para 7,50%

14/09/2018 09:20:16

Por: Pâmela Reis / Agência CMA

Bandeira

Foto: Derek Law/Flickr

São Paulo – O banco central da Rússia elevou a taxa básica de juros do país de 7,25% para 7,50%, citando o aumento significativo dos riscos inflacionários causado por “mudanças nas condições externas”, e alertou que o aperto monetário pode continuar nos próximos meses.

“O balanço de risco pendeu mais para o lado dos riscos inflacionários. Os principais riscos vêm da elevada incerteza externa e de seu impacto nos mercados financeiros”, diz o Banco da Rússia no comunicado. “Altas de juros nas economias avançadas, saídas de capital dos países emergentes e fatores geopolíticos podem fazer com que a volatilidade no mercado financeiro persista, afetando a taxa de câmbio e as expectativas de inflação”.

Segundo o banco central, a inflação está acelerando de volta para a meta de 4% mais rápido que o esperado. Os preços ao consumidor subiram 3,1% em agosto em base anual, um pouco acima da projeção da autoridade monetária. O
aumento está ligado a variações nos preços de alimentos e à depreciação do rublo desde o início do ano.

“As expectativas de inflação tanto das famílias quanto das empresas aumentaram levemente devido à volatilidade na taxa de câmbio”, diz o banco. “A depreciação do rublo está ligada às saídas de capital, causadas por mudanças nas condições externas”. O banco prevê que a inflação encerre este ano na faixa entre 3,8% e 4,2%, atingindo um pico em meados de 2019 e fechando o ano que vem entre 5,0% e 5,5%. Em seguida, na primeira metade de 2020, a taxa deve voltar para 4%.

“O Banco da Rússia vai considerar a necessidade de mais aumentos de juros, levando em consideração a dinâmica da inflação e da economia em relação às projeções, assim como os riscos colocados pelas condições externas e as
reações do mercado financeiro”, diz o comunicado.

Deixar um comentário