Adesão da Opep ao corte de produção atinge recorde, diz AIE

13/04/2018 12:00:18

Por: Cristiana Euclydes

São Paulo – Os 12 membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) que participam do acordo de corte de produção atingiram uma taxa recorde de conformidade com o pacto em março, após a queda forte da oferta da Venezuela levar a produção do cartel para seu menor nível em quase três anos.

Segundo relatório da Agência Internacional de Energia (AIE), a taxa de conformidade com o corte subiu de 152% em fevereiro para 163% em março, a maior já registrada, o que significa que os países do cartel estão cortando uma parcela bem maior que a prometida de seu fornecimento.

A produção total dos 14 membros da Opep, incluindo Líbia e Nigéria, que são isentas do corte de produção, caiu de 32,03 milhões de barris por dia (bpd) em fevereiro para 31,83 milhões de bpd em março, com perdas principalmente na Venezuela e em países africanos. Na Arábia Saudita, maior produtor da Opep, a produção passou de 9,96 milhões de bpd em fevereiro para 9,92 milhões de bpd em março.

Na Venezuela, a oferta passou de 1,55 milhão de bpd em fevereiro para 1,49 milhão de bpd em março – 580 mil bpd abaixo do limite estabelecido para o país no acordo de corte de produção. “A conformidade da Opep com o pacto está distorcida pela crise na Venezuela, mas mesmo se Caracas produzisse no nível acordado, a taxa de desempenho [do cartel] ainda estaria acima de 100%”, diz o relatório.

Já a taxa de conformidade dos dez signatários do acordo que não fazem parte da Opep foi de 90% em março, após os 82% de fevereiro, diz o relatório da AIE. A produção do grupo caiu de 18,41 milhões de bpd para 18,37 milhões de bpd. O pacto, incluindo os países membros e não-membros da Opep, retira ao todo 1,8 milhão de bpd do mercado até o fim deste ano.

Edição: Pâmela Reis (pamela.reis@cma.com.br)

Deixar um comentário