Ações e dólar sobem no início da tarde; juros caem

16/05/2018 13:49:26

Por: Redação / Agência CMA

São Paulo – O Ibovespa opera em alta de 1,63%, aos 86.521 pontos, em dia de vencimento de opções sobre o índice, impulsionado pelo bom desempenho de papéis da carteira teórica com maior influência sobre o indicador e pela leve melhora do humor no exterior. Pesa sobre o mercado, no entanto, o aumento nas dúvidas a respeito do encontro entre o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un.

“O mercado abriu pior, mas uma melhora das bolsas norte-americanas puxou uma correção mais forte aqui, depois de uma aversão ao risco grande ontem. Está ocorrendo a recompra de papéis, há fluxo, mas não é possível dizer se essa alta vai se sustentar até o fechamento”, disse o sócio da Platinum Investimento, Rafael Gonzalez.

A Coreia do Norte colocou em dúvida uma reunião entre Kim e Trump prevista para 12 de junho, citando que pode reconsiderá-la caso Washington continue pressionando para que Pyongyang desista unilateralmente de suas armas nucleares.

Os Estados Unidos disseram em resposta que continuarão sua campanha de pressão máxima contra a Coreia do Norte caso o país cancele a reunião. Apesar disso, os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos operam em alta, após dois pregões negativos tanto para o S&P 500 quanto para o Nasdaq Composto.

No mercado doméstico, os investidores aguardam a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central. A expectativa do mercado é de que o grupo reduza a taxa básica de juros (Selic) em 0,25 ponto porcentual, para 6,25% ao ano, e encerre o atual ciclo de cortes.

O mercado de ações deixou em segundo plano dados que mostraram um desempenho mais fraco que o previsto para a economia brasileira em março, mas o indicador foi sentido nos mercados de câmbio e juros.

O Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) caiu pelo terceiro mês seguido em março. Na comparação mensal, o declínio foi de 0,74%, enquanto no ano a queda foi de 0,66%. Analistas previam queda mensal de 0,20% e avanço anual de 0,30%.

No mercado de câmbio, o dólar comercial subia 0,54%, aos R$ 3,6820 para a venda, enquanto o contrato futuro da moeda avançava 0,76%, aos R$ 3,6860.

Entre os juros, as taxas do contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2019 tinha taxa de 6,330%, de 6,350% no ajuste ontem; o DI para janeiro de 2020 estava em 7,33%, de 7,35%; e o DI para janeiro de 2021 projetava taxa de 8,46%, de 8,47%, na mesma comparação.

Deixar um comentário