Ações do Pão de Açúcar disparam e sobem 11% com reorganização societária

Por Danielle Fonseca

São Paulo – As ações do Pão de Açúcar têm forte alta hoje e mostram a maior valorização do Ibovespa refletindo o anúncio de uma reorganização societária dos ativos do grupo Casino, dono do Grupo Pão de Açúcar (GPA), na América Latina. Às 12h05 (horário de Brasília), os papéis (PCAR4) avançavam 10,18%, a R$ 93,23, depois de terem atingido a máxima de R$ 94,16 há pouco, subindo mais de 11%. As ações acompanham a alta dos papéis do Grupo Casino na Bolsa de Paris.

Mercado
Mercado

A proposta de reorganização foi apresentada ontem ao conselho de
administração e inclui uma oferta pública a ser lançada pelo GPA para
comprar a totalidade das ações do Éxito, subsidiária do Casino na Colômbia. O preço ainda será definido por um Comitê Especial, mas, segundo os analistas da XP Investimentos, em reais, a transação levaria a um desembolso de caixa para o GPA entre R$ 8,6 a R$ 9,7 bilhões.

Também está prevista a aquisição pelo Casino da participação de 18,7%
através das ações ordinárias que Éxito detém indiretamente no GPA, a
preço justo, e a migração do GPA para o segmento Novo Mercado da B3, com conversão da totalidade de ações preferenciais em ações ordinárias à
razão de 1 para 1.

Segundo a XP, o anúncio já era esperado pelo mercado e há fatores
positivos. “O fato de a transação ser neutra para o Casino em termos de
entrada de caixa e a melhora da governança corporativa são aspectos
positivos”, afirmaram os analistas da corretora, em relatório. Entretanto,
eles ponderam que se trata da compra de uma empresa baseada na Colômbia sem ganhos claros de sinergia, o que ainda pode trazer volatilidade para as ações de GPA no curto prazo.

Já para o analista da Guide Investimentos, Luis Gustavo Pereira, os pontos
positivos são a migração para o Novo Mercado, dando mais liquidez aos papéis e melhorando governança corporativa da companhia, e a expectativa de um crescimento nos resultados e lucros após aquisição. “Além disso, a decisão pode ainda retirar o overhang das ações, onde os investidores permaneciam céticos com relação aos direcionamentos estratégicos do management”, disse em relatório.

Porém, destaca que a operação envolve um “follow on” (oferta subsequente de ações), uma vez que o Pão de Açúcar não possui caixa
suficiente para realizar a aquisição, “algo que deve diluir a participação
dos acionistas minoritários”. Além disso, acredita que a alavancagem
financeira também será impactada negativamente. O preço acordado na
aquisição da empresa colombiana ainda envolveria um prêmio de até 24% sob a cotação do fechamento de ontem.